Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A escolha de um escritor/autor

por Magda L Pais, em 30.09.15

Este é um problema recorrente aos booklovers ou livrólicos anónimos (adorei este termo que encontrei, no outro dia, num outro blog).

Imaginem que, de momento, já lemos os livros todos que tínhamos em casa, queremos (ou podemos) comprar um novo livro e vamos até à livraria (seja ela on line ou num espaço físico). Com tanta oferta disponível, que livro escolhemos e de que escritor?

Será que preferimos não sair da nossa zona conforto e vamos comprar daquele autor que, à partida, sabemos que vamos gostar porque já o lemos? Ou será que arriscamos e compramos daquele escritor de que já ouvimos falar mas do qual nunca lemos nada? Ou seguimos o conselho de outros bloggers?

Confesso que, para mim, qualquer uma das opções é válida.

Há escritores que são passageiros frequentes da minha lista de compras – Ken Follett, Juliet Marillier, Marion Zimmer BradleyAnne Bishop ou John Grisham (entre outros) – tenho vários livros de cada um deles e sei que não me desiludem. Bom, ok, um dos livros que me desiludiu foi precisamente de Ken Follett mas, em contrapartida, é também dele um dos meus livros favoritos de sempre.

Mas também compro de escritores que nunca li. E com isso já descobri algumas pérolas. É o caso de Stieg Larsson, Jodi Picoult, James Patterson, ou Gary Jennings (deste último tenho muita pena que não haja mais nada editado em português, para além de Orgulho Asteca e Sangue Asteca.). Eram autores que eu desconhecia e que, caso não tivesse arriscado comprar os livros, nunca os teria lido.

Creio – mas é a minha opinião, claro e que resulta desta experiência – que, às vezes, devemos sair da nossa zona de conforto (leia-se autores que já conhecemos) e arriscar em escritores que desconhecemos. Podemos ter uma desilusão, é verdade. Mas também podemos ter uma grande alegria. E, pensando bem, este arriscar em sair da zona de conforto, não é só verdade neste caso mas em toda a nossa vida. Viver sempre na zona de conforto não é viver, é sobreviver.

E viver é tão melhor que sobreviver!

E vocês? Qual é o vosso critério de compra dos livros?

Autoria e outros dados (tags, etc)


36 comentários

De M* a 30.09.2015 às 09:35

a sinopse e o tema em que se centra a acção. tenho vários livros de escritores cujas leituras se deveram precisamente a estes dois critérios. estou-me a lembrar, por exemplo, do livro A Bastarda de Istambul (opinião aqui). li a sinopse e interessou-me e, a isto, acrescentasse um ou outro artigo que encontrei em jornais sobre o livro e autora. não lhe resisti, e ainda bem. e como este exemplo, outros livros que li e tenho por ler seguiram estes critérios. 
porém, são os blogues e os youtube books quem mais me influenciam na hora de comprar um livro.

De Magda L Pais a 30.09.2015 às 12:12

eu gosto sempre de cuscar sinopses quando vou às livrarias... encontram-se verdadeiras perolas, sem dúvida. Nos últimos tempos os blogs tem sido tambem uma grande fonte de inspiração, sem dúvida

De Paula a 30.09.2015 às 11:31

Tendo eu sempre tendência a seguir os autores que conheço e gosto, às vezes (muito raras), arrisco! E também já percebi que vale a pena seguir alguns dos conselhos que vejo por aqui, para compras futuras!
Não sei como descobri o Robert Wilson, mas vale a pena, com dois dos livros passados no nosso jardim à beira-mar (vive parte do ano cá!) e outros em Sevilha!
A Marion Zimmer Bradley aparece em inglês pela primeira vez lá em casa, há muitos anos, ainda nem tinha cá sido publicadas as Brumas, numa feira do livro a 1 € num hiper (só havia dois desses por cá na altura). O preço falou mais alto que o desconhecimento! E vale a pena!

De Magda L Pais a 30.09.2015 às 12:14

Ahhhh Marion Zimmer Bradley... o que eu adoro os livros dela!!!! nem me lembro como os conheci mas sou fã incondicional.
Seguir os autores conhecidos é termos a certeza que vamos gostar. Ler desconhecidos é um salto no escuro mas que pode ser bastante compensador, sem dúvida

De Andy Bloig a 30.09.2015 às 11:48

O problema agora é mesmo a quantidade (GIGANTESCA) de livros que chegam aos mercados. 
Dantes, podíamos passar pela livraria, dar uma vista de olhos nas contracapas e ler os resumos. Como existia um certo agrupamento dos temas, era fácil encontrar novos escritores e ter conhecimento do que era o livro. 
Agora, existem, demasiados, livros que podem-se ler as sinopses e ficar com uma ideia... ao ler o livro, nota-se que aquela apresentação pouco (ou nada) tinha a haver com a história. 
E há o que gosto de chamar "livro de pipocas" que é aparecer um bom livro novo, que obtêm boa audiência, 6 meses depois já está um novo livro, do mesmo autor, no mercado. Nem dá tempo para digerir o livro anterior.

De Magda L Pais a 30.09.2015 às 12:16

eu costumo ler as sinopses e folhear os livros. Não me fico apenas pela sinopse. 
Ahh os livros pipoca. Os fenomenos instantaneos... um horror. Acabamos por ficar inundados sem tempo para perceber se é bom ou não

De Andy Bloig a 30.09.2015 às 13:26

Nestes últimos anos, há por aí muito autor novo que escreveu um bom livro, só que ainda mal andava no mercado (já tinha boa audiência em vendas e no facebook...) já estava a editar outro livro semelhante. Basicamente, quem lia coisas sobre ele, chegava a uma livraria, já existiam 2 livros para comprar. 
Aqui sei que a culpa é das editoras que querem aproveitar a fama obtida para lançar mais livros de rajada para chamar mais público... acabam por dar cabo daqueles livros que se podem ler com calma para os ir entendendo. Pior, é que costumam ser livros independentes onde as ideias do autor são giras mas, aqui entra a pipoca, são usadas tanta vez que ficam sempre diferentes... mas, iguais. E estar a gastar 60 euros por ano em livros do mesmo autor, escritos de forma muito parecida sem grande variação... é um exagero que pouca gente pode fazer. 
Logo colados a esses, surgem os similares. (se te lembrares, ali por meados de 2010, eram o livros de auto-ajuda, chegava-se a qualquer lado, 50 livros de auto-ajuda na montra. Seguiu-se o Oculto e "bruxaria". Em qualquer livraria eram livros de tudo e mais alguém a escrever sobre isso. Agora temos ido para o lado romântico e do "romeu e julieta"... mais para o lado cinematográfico) Chega-se a um ponto, já se ouviu falar de tanto livro que é complicado escolher aquele que nos parece melhor... compra-se um que se ouviu falar tanto e ficamos desagradados com o que se leu. 

De Magda L Pais a 30.09.2015 às 14:37

ahahahahahaahah concordo tanto mas tanto contigo!
foi a moda dos vampiros, a moda das bruxas, do eróticos/pornográficos, de autoajuda, disto e daquilo. Cruzes, fica-se sem vontade de ler esses temas e optar por outros menos conhecidos

De Sara a 30.09.2015 às 12:32

Sinopse e preço, às vezes alguma critica que tenha achado interessante...Livros com temas que não me dizem nada coloco de parte e privilegio autores que já conheço. Cada vez mais acho que não sou eu a escolher os livros mas eles que me escolhem a mim...

De Magda L Pais a 30.09.2015 às 12:37

o preço tambem é um factor importante, de facto. Escritores conhecidos sim, mas tambem arrisco nos novos.
Gosto dessa ideia, de serem os livros que nos escolhem e não nós que os escolhemos a eles

De Sara a 30.09.2015 às 12:52

Eu gostava que tivesse menos influência, mas...É difícil arriscar vinte euros num autor que não conheço de lado nenhum. Já arrisquei em livros baratinhos, alguns nem tinham sinopse...Isso de eles me escolheram, é tipo: não tenho uma lista do que vou comprar: às vezes vou dar uma volta, vejo uma banca e vou espreitar...É assim xD

De Magda L Pais a 30.09.2015 às 14:41

claro que tem influência. E muita. é como dizes, 15/20 euros ainda é dinheiro e ele custa a ganhar. Uma coisa é arriscar com um livro emprestado, um livro barato ou um do qual temos boas informações. Outra é saltar para o desconhecido sem rede

De Sara a 30.09.2015 às 14:51

Emprestado leio tudo xD Com os mais baratos leio pelo menos a sinopse, mas a margem é maior...Acho que é por causa das compras impulsivas que se acaba com muitos livros na estante que não nos dizem nada.

De Magda L Pais a 30.09.2015 às 15:04

tenho lá alguns que me sinto completamente enganada na compra, sim. Livros dos quais li criticas fabulosas, que ai e tal é muito bom... e eu não consegui ler. Fico piurça quando isso acontece

De Sara a 30.09.2015 às 15:14

Eu gosto de ler críticas, mas confiar ao ponto de ir comprar em muito poucas...Quando a editora envia o mesmo livro a cinco pessoas e as cinco acham fabuloso, é de desconfiar...

De Magda L Pais a 30.09.2015 às 15:17

nestes casos vi as criticas no goodreads e a grande maioria falava excepcionalmente... e eu detestei

De Sara a 30.09.2015 às 15:43

Não me fio no goodreads...Prefiro a zona de comentários da Amazon 

De Magda L Pais a 30.09.2015 às 15:44

tirando dois ou três casos, nos outros as criticas eram coincidentes com o que achei dos livros

De Sara a 30.09.2015 às 15:49

Desde que vi que o Crepúsculo tinha lá de média quatro estrelas inteiras xD Na amazon faço assim: vejo o que diz quem deu 5 estrelas e depois as que deram 2...Já li lá textos muito interessantes.

De Magda L Pais a 30.09.2015 às 15:52

eu não ligo à média. Leio as criticas mais positivas, as mais negativas e as assim assim e depois tiro a minha conclusão

De Milheiras a 30.09.2015 às 13:31

Já lá vão 10 que fiz uma opção, só leio autores portugueses preferencialmente, excepto livros técnicos. Critérios de compra sinopse versus preço...

De Magda L Pais a 30.09.2015 às 14:43

é um critério. Mas confesso que o acho redutor. Há excelentes autores de todas as nacionalidades.

De Just_Smile a 30.09.2015 às 18:52

Sinceramente? Não sigo nenhum autor, escolho os livros pela primeira página e pelo que me lembro de ouvir falar dele :)

De Magda L Pais a 30.09.2015 às 20:07

há autores que eu sei que são bons e esses nem hesito. Claro que o resto também é importante. Mas saber que já li aquele e que sei que é bom, é do melhor mesmo!

De Miss F a 30.09.2015 às 19:48

Depende das alturas.  Houve um ano em que decidi 'caramba, este ano vou ler maioritariamente coisas que nunca li!' e assim conheci, entre outros, o Murakami, a Nora Roberts, o Zafón e o Ken Follet. Mas vou tentando fazer um mix entre livros recentes, autores que gosto, livros que me recomendam e livros que estão há muito tempo na lista para ler. Por vezes leio tanta coisa nova que decido que tenho de 'voltar a casa' e vou buscar conforto nos meus autores, outras vezes fico cansada das quatro paredes e vou em busca de novas aventuras!

De Magda L Pais a 30.09.2015 às 20:11

sabe tão bem, mas tão bem, depois de uns tempos a ler autores desconhecidos, pegar num que já lemos... é uma sensação única. É como reler um livro que amamos de paixão.

De Miss F a 01.10.2015 às 20:43

Aquece-nos o coração :D e como dizia o outro, recordar é viver!

De Magda L Pais a 01.10.2015 às 20:57

nem mais, é o que eu penso

De Corvo a 01.10.2015 às 14:36

Normalmente compro livros pela capa. Por autores também, mas mais pela capa. E olha que por vezes tenho tido agradáveis surpresas
A sinopse não me diz nada, ou pouco. Sinopse é o que a editora decide lá colocar a fim de incentivar a venda.
Então e o Pecado de Porto Negro? Querem ver que não acreditaste no meu bom gosto literário? Mau...

De Magda L Pais a 01.10.2015 às 20:59

bem, costumam dizer que não se deve avaliar um livro pela capa :p


eu registei a sugestão. Mas como disse por ai algures, tenho 105 livros à espera para serem lidos e ando a evitar comprar novos até os acabar. senão sou despedida de casa

De Sou Toda Amor a 06.10.2015 às 16:44

Eu, para comprar livros, vou por esta sequência:
1 - O que me apetece ler nesse momento (posso estar numa fase mais romântica ou a apetecer-me ser aventureira ou a querer "ler" sangue... enfim, depende do estado de espirito)
2 - Vou pelos títulos 
3 - Vou pela descrição na contra-capa
4, 5, 6, 7, 8 e 9 - Ando feita barata tonta entre um e outro e ainda aquele que vi ali... (GOD )
10 - Compro, leio e, até á data, nunca me senti "defraudada" 
Só tenho pena de não ter mais tempo para ler...

De Magda L Pais a 06.10.2015 às 19:34

quer ler sangue é bom... nas análises? ahahahahahahahahaah


sim, eu percebo. Acontece-me o mesmo. há alturas mais românticas, outras mais policiais. O que interessa é ler, não é?

De Sou Toda Amor a 07.10.2015 às 17:50


"Ler sangue" = crimes horrendos de não me deixarem pregar olho durante e noite (aconteceu-me 2 vezes) e já nem sei onde param esses livros!
E é mesmo isso... o que interessa é ler!

De Magda L Pais a 07.10.2015 às 18:56

ahahahahahaahahahahahahahahah eu percebi

De A rapariga do autocarro a 20.10.2015 às 17:17

Confesso que me custa sair daqueles autores que já conheço, mas devido à troca de livros já me deparei com delícias que de outra forma não teria conhecido, por isso presto sempre atenção às recomendações da malta devoradora de livros!

De Magda L Pais a 21.10.2015 às 08:58

é o que fazes de melhor, na minha opinião. Tambem tenho descoberto autores fabulosos que, doutra forma, se calhar não se cruzavam no meu caminho

Comentar post




Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.