Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A Gorda

por Magda L Pais, em 02.03.17

32968215.jpg

A Gorda de Isabela Figueiredo

ISBN: 9789722128339

Editado em 2016 pela Editorial Caminho

 

Sinopse

Maria Luísa, a heroína deste romance, é uma bela rapariga, inteligente, boa aluna, voluntariosa e com uma forte personalidade. Mas é gorda. E isto, esta característica física, incomoda-a de tal modo que coloca tudo o resto em causa. Na adolescência sofre, e aguenta em silêncio, as piadas e os insultos dos colegas, fica esquecida, ao lado da mais feia das suas colegas, no baile dos finalistas do colégio. Mas não desiste, não se verga, e vai em frente, gorda, à procura de uma vida que valha a pena viver.

Este é um dos melhores livros que se escreveu em Portugal nos últimos anos.

A minha opinião

Por tudo isto, considero-o muito bom*.

* A minha avaliação de qualquer livro (ou qualquer outra coisa) prende-se em critérios "extremamente objetivos" que se resumem ao meu gosto pessoal e nada mais.

Digam lá sinceramente, depois de lerem uma avaliação assim, não ficavam com uma enorme vontade de ler o livro? Confesso que já tinha lido várias opiniões sobre A Gorda que me inspiravam confiança mas foi depois da Alexandra dizer isto que me decidi: vou ler e é já!. E o já, foi só o tempo de vermos, eu e a Alexandra, como íamos gerir o empréstimo do ebook. Sim, mais difícil ainda é que li A Gorda em ebook. Não estou maluca, não cedi às vozes que preferem o ebook, continuo a preferir livros físicos mas desta vez a vontade de ler este livro sobrepôs-se.

Valeu a pena. Valeu muito a pena.

Luísa é gorda. Mas é também mulher. Luísa sou eu, és tu, somos todas a quem, alguma vez, chamaram de gorda – só porque saímos do peso que a sociedade acha normal. Luísa somos todas aquelas que têm de ouvir a família dizer: não comas isto que estás gorda, não vistas isso que te fica mal, olha que assim não olham para ti, olha que os meus amigos gozam por namorar contigo, afasta-te de mim porque és um peso pesado. Mas Luísa também somos aquelas que cuidam dos pais, que se preocupam com o seu bem-estar, que amam os seus animais e que tem dúvidas. Que pensam mais do que deviam, que sobrevivem em vez de viver. Que amam e esperam por aquele amor que todos julgam esquecido “porque não é para ti”.

Luísa mostra-nos a sua casa enquanto nos fala da sua vida, que podia ser a minha ou a vossa. Onde amores e desamores, sonhos e ilusões, desilusões e desencontros se entrecruzam numa vida vivida em solidão, por causa do peso. E mesmo tendo perdido o peso que tinha a mais, Luísa não deixa de ser a mesma pessoa.

Luísa conta-nos a sua vida de forma crua, dura e sincera, deixando-nos, no fim, com vontade de a acompanhar para sempre, de saber sobre si depois de fechar a última página.

Seguramente um livro a ler, e uma autora a acompanhar.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


15 comentários

De Alexandra a 02.03.2017 às 16:10

Ainda bem que gostaste :) e também fiquei com a sensação de querer saber o que é feito dela agora. Houve vários momentos que senti que a Luísa podia ser eu, e isso ia muito para além da gordura dela (minha). 
Quanto aos ebooks, eu também prefiro papel, mas não nego que o digital tem algumas vantagens que me agradam...

De Magda L Pais a 02.03.2017 às 16:16

Acho que qualquer mulher se identifica, neste ou naquele momento, com a Luisa. E isso vai, seguramente, muito além do peso. são pequenos nadas, isto ou aquilo. Por isso acho que a Luisa somos todas nós.

De Marta a 02.03.2017 às 17:09

Fiquei curiosa! Mais uma ótima sugestão, obrigada!

De Magda L Pais a 03.03.2017 às 09:48

Vale a pena ler. é um livro marcante

De Catarina Filipa a 02.03.2017 às 19:59

ah... a Isabela Figueiredo.. não há nada melhor neste momento do que ler qualquer coisa que ela escreva! também gostei muito d'A Gorda. Experimenta ler os Cadernos de Memórias Coloniais e o blog dela, caso ainda não conheças. é muito interessante ler as passagens do blog juntamente com A Gorda porque vês claramente um trabalho em processo. tens uma passagem no blog que remete para o livro e vice-versa.

De Magda L Pais a 03.03.2017 às 09:49

Oh e eu que pensei que o blog que ela fala no livro era ficção. E qual é o endereço do  blog, sabes?

De Catarina Filipa a 03.03.2017 às 21:14

novomundoperfeito.blogspot.com/ 

De Maria Araújo a 02.03.2017 às 22:47


Lendo o blog de algo e o post  da Magda, dá vontade de comprar o livro e ler já.

De Magda L Pais a 03.03.2017 às 09:49

'tou contigo. Acho que o deves mesmo fazer,. Ou melhor, ler

De sarabudja a 03.03.2017 às 09:45

Magda, obrigada. Sentido. Fazes tanto pela minha curiosidade literária.
Gosto dessa tua forma de contar pouco e levar-me a querer saber mais.

De Magda L Pais a 03.03.2017 às 09:50

Sarabudja, não sejas assim exagerada eehehehehehe só digo aquilo que sinto quando os leio. Com o máximo de honestidade

De sarabudja a 03.03.2017 às 10:00

Deixas-me gostar da forma como escreves sobre o que lês? 
Exagerado era o Cazuza e eu também gosto muito. 

De Magda L Pais a 03.03.2017 às 10:10

eu deixo tu gostares de tudo :) 

De Daniela a 07.03.2017 às 23:28

Tenho este livro na minha estante por ler :) Ainda bem que gostaste, eu estou com expetativas elevadas em relação a ele :D

De Magda L Pais a 08.03.2017 às 14:51

Lê-se muito bem, arrisca que vais gostar

Comentar post




Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.