Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A minha vida é um livro - em 2016

por Magda L Pais, em 04.01.17

20154491_V4uqr.jpeg

A Mula apresentou-me o desafio A minha vida é um livro! que consiste em construir uma história com os títulos dos livros que li em 2016. Lixei-me! foram 81 e não deve ser fácil conjuga-los. As regras são estas:

20154550_Oa7Ms.jpeg

Estamos pior... quando comecei o post não tinha lido a segunda regra... Mas como não gosto de desistir facilmente, vamos lá a isto. Prontos? eu também... e seja o que os livros quiserem.

Foi com a alma das pedras e a elegância do ouriço que se começou a construir um'a biblioteca das sombras. João, o navegador solitário, punha-se à janela a observar os pássaros, principalmente aquele bando de corvos que era comandado pela rainha vermelha. Mas João também escrevia e, um dia, em conversa com os amigos, fez algumas confissões de um jovem escritor enquanto chegavam ao parque de diversões que iam visitar. Aproveitaram para tirar uma foto junto ao letreiro que dizia Bem-vindos a Joyland. Gostaram do parque de diversões mas quando perceberam que mataram a cotovia, ficaram aborrecidos.

Sara, uma das melhores amigas de João, passou a lua de mel em Paris e conheceu o executor d'o jogo do anjo. Mas o karma é tramado e ataca quando menos se espera. Mais maldito Karma e Wilt, o marido, como lobo solitário que é, foi feit'o prisioneiro do Céu por ter encontrado a pérola mais bonita de que há memória.

João escreveu o último capítulo d'o estranho caso do cão morto e convidou Sara para visitarem a livraria dos finais felizes onde o velho que lia romances de amor lhes falou na escrava que era a companhia predilecta d'o leitor de cadáveres. "era a menina dos meus olhos... e agora, como vou eu viver depois de ti?"

Desafiado por João, o velho, contou-lhe os doze segredos da língua portuguesa que lhe faziam falta para poder escrever o livro sobre os últimos dias dos nossos pais.

Paloma, a contadora de filmes foi visitar a biblioteca que tinha o único Livro dos Baltimore. Este livro tinha sido escrito pel'o escritor-fantasma conhecido por estar sempre furiosamente feliz

A torre de espinhos ia estragando a incrível viagem de Arthur Pepper mas, com a ajuda d'a senhora da magia que usou a sua visão de prata, Arthur conseguiu viajar e foi visitar a Rainha Suprema para pedir clemencia para o prisioneiro da árvore que não soube responder à pergunta fulcral: Para onde vão os guarda-chuvas?

As serviçais arrumaram a moradia onde viviam os pais de João, porque os velhos também querem viver em casas limpas e arrumadas, já que a rapariga-corvo tinha fome de fogo e seguia à risca as Instruções da Pitonisa que, com pura malícia, lhes tentava espetar a lâmina na alma.

Levanta-se a voz da vingança e denuncia o adultério

N'o silêncio do marHarry Potter e a criança amaldiçoada resolvem escrever um conto a partir de uma história verdadeira a que chamam a tragédia da rua das flores

Quando Anne chega ao oceano no fim do caminho descobre que alguém falou sobre os últimos sete meses de Anne Frank mas não se importa porque ouve o rouxinol e fica encantada.

O Lar da Senhora Peregrine para crianças peculiares recebe o Pistoleiro na Cidade sem alma, tornando as horas invisíveis.

A relíquia que João e Sara procuravam desapareceu. Quase que se ouvem os Gritos Silenciosos de ambos e João acaba por sentir que chegou a altura de dizer a Sara que "não sei viver sem ti, és a minha Luz e o que mais quero na vida é ser a tua Shadow". Mas Sara está apaixonada pelo marido, vai-se embora e João começa a chorar, até que chega perto dele um Homem chamado Ove que lhe pergunta pelos seus sonhos proibidos. Depois de João lhe contar tudo, Ove explica-lhe que ele ainda tem uma vida à sua frente para ter o Império Final.

Salva-me duma carreira do mal, pede-lhe João mas Ove tem de se ir embora para falar com Joanne sobre as primeiras quinze vidas de Harry August.

Mas antes de se separarem, falta a luz no restaurante e os funcionários são obrigados a acender velas. A conversa prolonga-se mais do que Ove queria e as velas ardem até ao fim.

Quando saem do restaurante, na sombra da Lua percebem que as flores que se vêem são as sangue-do-coração que, entre outros fins, podem ser usadas para decorar os pratos do Arroz de Palma que era o o terceiro desejo do mercador de sonhos de Lisboa que se perdeu no labirinto dos espíritos enquanto procurava os livros que devoraram o meu pai.

 

Tarefa concluída com sucesso. Não é a melhor história do mundo mas respeita as regras. 

Falta apenas nomear cinco vítimas pessoas e portanto vamos a isto.

 Miss F. A ver se te inspiras para escrever mais que eu gosto de te ter aqui

 Edite, é a minha vingança ahahahaahahha (riso maléfico)

 Maria, uma forma de voltares a escrever e recordares o que leste em 2016

 Just, vamos a isto?

 Marta, conto contigo?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


29 comentários

De Crónicas de um café mal tirado a 04.01.2017 às 13:47

Ficou ESPECTACULAR Image Muitos parabéns !

De Magda L Pais a 04.01.2017 às 16:58

a ideia é que é espectacular! mesmo. Adorei. é um exercício diferente sem dúvida mas com um resultado muito engraçado

De Crónicas de um café mal tirado a 05.01.2017 às 11:57

Sim mas de nada valia uma ideia espectacular se não houvesse gente criativa  e pré-disposta a responder. Agora já podemos fazer «chantagem emocional» quando houver pessoas a dizer que é complicado fazer uma história com 10 livros!!Obrigada pelos elogios e obrigada por responder ao desafio tão prontamente !

Comentar post




Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.