Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A Relíquia

por Magda L Pais, em 21.09.16

6275977.jpg

A Relíquia de Eça de Queirós

Sinopse

Romance saído em folhetins na Gazeta de Notícias, cuja epígrafe se tornou célebre - "Sobre a nudez forte da verdade, o manto diáfano da fantasia" - por sintetizar a aliança entre realismo e imaginação, naturalismo e fantástico, patente na obra.

Da intriga central - a viagem de Teodorico à Terra Santa, de onde traz, não a relíquia que prometera à tia beata, mas sim, por lapso, a camisa de dormir de uma amante - sobressai o sonho ou a viagem no tempo do protagonista, que, acompanhado pelo seu erudito amigo, Dr. Topsius, assiste à pregação, julgamento e morte de Jesus.

A obra, que exalta a figura humana de Cristo, como paradigma de amor e de bondade, foi considerada herética pelos setores mais conservadores, por questionar a divindade de Cristo.

 

A minha opinião

Houve quem dissesse que A Relíquia era a minha cara. E depois um colega de trabalho confirmou e emprestou-me o livro para que eu pudesse também confirmar essa informação. E eu, que sou bem-mandada, venho aqui publicamente dizer que sim, que A Relíquia é a minha cara e que tenho pena de não o ter lido antes.

Li o livro e diverti-me imenso com ele, até porque imaginei sempre que o Teodorico seria o Vasco (da Canção de Lisboa). E porque esta comparação? Por causa das tias e da titi! Nem imaginam o que me ia divertindo enquanto avançava na leitura. Mas confesso também que, a determinada altura achei que Eça de Queiroz teria fumado umas coisas que fazem rir. Aquele sonho que Teodorico tem quando está a chegar a Jerusalém é a prova disso mesmo!

Este livro deu para rir, para sorrir e para reflectir. Eça no seu melhor? Se calhar sim, apesar de não conhecer bem a sua obra (grande falha que estou a tentar mitigar). No fim, a lição fica – a honestidade dá os seus frutos.

Tenho mesmo de recomendar a leitura deste livro. E de outros de Eça de Queiroz que tanto assusta na escola mas que, no fim, se lê muito bem, sem grandes desesperos e arrufos.

Autoria e outros dados (tags, etc)


8 comentários

De Maria das Palavras a 21.09.2016 às 12:58

Como te disse na altura, não é a melhor obra de Eça, mas é a que mais identifico contigo das que li. Só mesmo porque é uma risada pegada :D

De Magda L Pais a 22.09.2016 às 12:48

se me visses, no café, a rir quando é a entrega da reliquia à titi.... ia-me engasgando

De Maria Araújo a 21.09.2016 às 13:12

Li "A Relíquia"  há anos, não me recordo. 
Tenho as obras completas, li duas ou três, preciso de as rever.
Sempre que limpo o pó e vejo a obra na estante, penso que está na hora.
Será melhor pegar numa delas e pô-la na mesa de cabeceira.

De Magda L Pais a 22.09.2016 às 12:49

Sim! tens mesmo de ler. Eu nunca tinha lido Eça de Queiroz e estou a adorar

De Nathy ღ a 21.09.2016 às 14:22

Eça não resulta comigo, eu bem tento mas não dá...

De Magda L Pais a 22.09.2016 às 12:50

nem todos podemos gostar do amarelo. eheheheh

De Sara a 21.09.2016 às 15:08

Foi dos livros dele que gostei menos, embora não deixe de o achar genial como tudo o que ele escreveu. Amo o Eça...Quem me dera ter todos os livros numa única colecção na estante, para poder folhear e reler. Pessoas que falam mal ainda antes de ler, francamente 

De Magda L Pais a 22.09.2016 às 12:51

Admito que não seja o melhor. Como só li A Tragédia da Rua das Flores não sou, de todo, a melhor pessoa para analisar isso. Mas que me diverti imenso com este livro, posso garantir. Gostei bastante

Comentar post




Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.