Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Literatura

por Magda L Pais, em 25.09.15

Dizia uma professora que apenas uma obra que fale da sociedade, politica ou economia, enfim qualquer assunto real, pode ser considerado literatura.

Não sendo professora, dessa ou de qualquer outra área, a verdade é que recuso liminarmente fechar a literatura num conceito tão simples.

A literatura não tem de se cingir aos assuntos reais. Cinge-se à imaginação do autor, à forma como consegue passar para o papel o que lhe vai na alma, seja fingimento ou seja real. Um texto literário tem um efeito estético, as palavras são escolhidas com preocupação com a beleza e o efeito emocional.

Quando escreve, o autor dum texto literário, não quer ensinar nada ao leitor, quer apenas dar a conhecer uma história, o seu desabafo ou a sua ideia sobre determinado tema.

Qualquer livro, seja ele de que género literário for, é literatura. Pode ter mais valor para mim, menos para ti, pode ensinar, pode distrair ou pode obrigar a pensar. Um livro é literatura, seja ela de cordel, fantástica, romanceada, erótica, histórica, filosófica ou sem classificação. É para ser lido, apreendido (seja pela positiva ou pela negativa).

Quem tem gosto pela literatura, quem lê, por norma, é quem escreve melhor, quem tem mais facilidade de expressar o que pensa. E não é por ler só aqueles livros que a dita professora considera que são de literatura. É lendo todos os tipos de livros.

Estas são apenas algumas das razões que me levam a não concordar com o espartilhar da literatura como obras reais. Quando muito acho que podemos dizer que livros sobre a realidade (sociedade, politica, economia) são uma ínfima parte desse universo tão amplo que é a literatura.

Autoria e outros dados (tags, etc)


20 comentários

De Paula a 25.09.2015 às 08:55

Ora literatura?
Engloba tudo, acho eu! Da BD à poesia (que nem gosto), passando por quadras do António Aleixo! Um bom livro de mistério ou uma excelente ficção científica são literatura! e "so on"

De Magda L Pais a 25.09.2015 às 09:41

exactamente! não se pode espartilhar um universo tão amplo

De Neurótika Webb a 25.09.2015 às 09:19

que seria então de obras como "Lord of the Rings", ou a "Guerra dos Tronos", ou a nossa Cassandra Clare com os seus "Mortal Instruments" e os "Infernal Devices"?

De Magda L Pais a 25.09.2015 às 09:42

pois, pensei nesses casos também! acho que a dita professora estava um bocadinho baralhada

De Neurótika Webb a 25.09.2015 às 10:02

há professores assim. eu tinha um de psicossociologia da moda, que cada vez que dava exemplos de "chique" era sempre Campo de Ourique (ele morava lá, óbvio!) e cada vez que dava exemplos de "mau gosto" falava nas pessoas da Pontinha....devia ter algum ex-namorado de lá! ahahaha 

De Magda L Pais a 25.09.2015 às 11:34

ahahahaahahahah chique em Campo de Ourique? o que ele queria era rimar, não era dar exemplos :p

De Neurótika Webb a 25.09.2015 às 11:59


o que é que tu queres?
eu só tinha professores completamente doidos. havia outro que fez uma escandaleira no registo porque queria chamar ao filho Maria....teve que ser José Maria!
Aquele miúdo tem uma dívida (eterna) de gratidão para com o funcionário do registo civil.

De Magda L Pais a 25.09.2015 às 12:00

espera... queria chamar apenas Maria a um rapaz? é isso?

De Neurótika Webb a 25.09.2015 às 12:03


sim...queria que o miúdo se chamasse Maria.
é doido ou não é?

De Magda L Pais a 25.09.2015 às 12:04

doido não. Só estúpido mesmo...

De Neurótika Webb a 25.09.2015 às 12:09


era um daqueles tios de Cascais.
têm a mania que estas coisas são "benzocas"!
santa estupidez!

De Magda L Pais a 25.09.2015 às 12:12

o meu home era para se chamar Miguel Maria ou José Maria (já não me lembro bem). A sorte foi que o irmão mais velho se opos e exigiu que os pais não lhe dessem um nome desses

De Cláudia Oliveira a 25.09.2015 às 09:38

Concordo, mas nem sempre o preconceito vê isso. 

De Magda L Pais a 25.09.2015 às 09:42

acho que foi precisamente o preconceito que levou esta professora a dizer esta barbaridade

De Sara a 25.09.2015 às 13:24

Essas discussões sobre o que é literatura são sempre lamacentas...Eu não acho que tudo o que seja livro seja literatura, mas é o que eu acho e desde que me deixem sossegada podem até ler os Lusíadas de pernas para o ar.

De Magda L Pais a 25.09.2015 às 13:59

sim, é verdade que a discussão pode ser lamacenta mas há uma coisa garantida, literatura não é só livros que falem sobre assuntos reais. Isso é espartilhar um conceito demasiado vasto 

De Sara a 25.09.2015 às 14:14

Sim claro...Isso não deixava de fora o 1984? O que eu tenho visto em blogs por aí é que há questões que são sempre assim - livros bons, livros maus; o que é a literatura, o que faz um clássico...Mais vale cada um ler o que lhe apetece e pronto.

De Magda L Pais a 25.09.2015 às 14:22

deixaria de fora o 1984, Jane Eyre e outros que tais. E é contra isso que me insurgo. Não está em causa se é bom ou mal, para ler ou deitar fora. Isso é outra guerra

De A rapariga do autocarro a 17.10.2015 às 17:59

Essa professora deve ter tirado o curso numa Universidade que dá diplomas ao Domingo!

De Magda L Pais a 18.10.2015 às 11:04

Eu tenho, para mim, que lhe saiu o diploma na farinha amparo

Comentar post




Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.