Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Glória Mortal

por Magda L Pais, em 07.09.17

6307199.jpg

Glória Mortal de J. D. Robb
Editado em 2008 pela Edições Chá das Cinco
ISBN: 9789898032423
Lido em 2015
 
Sinopse
A primeira vítima foi encontrada num passeio à chuva. A segunda foi morta no próprio apartamento. Eve Dallas, tenente da polícia de Nova Iorque, não tem dificuldade em ligar os dois crimes. Afinal, ambas as mulheres eram bonitas, famosas, e as suas vidas e amores glamorosos enchiam as capas das revistas. As suas relações íntimas com homens poderosos dão a Eve uma longa lista de suspeitos, incluindo Roarke, o seu próprio companheiro. Como mulher, Eve tem toda a confiança no homem que partilha a sua cama. Mas como polícia, é sua obrigação seguir todas as pistas… investigar todos os rumores escandalosos… explorar todas as paixões secretas, por mais obscuras que sejam. Ou perigosas!
 
A Minha Opinião
Para quem não sabe, J.D.Robb é um pseudónimo de Nora Roberts, por isso este livro - o segundo da colecção Mortal - tem o seu quê de romance. Mas também é um policial. Eu diria, para que fique bem classificado, que é um policial romanceado e futurista já que se passa em 2058. 
Não me perguntem porquê, apesar de saber que é uma série, não tenho lido esta colecção por ordem. Talvez porque o primeiro que encontrei tinha acabado de sair e só depois de o ter lido é que percebi que era uma série. Não é grave, apesar do fio condutor - a história de Eve e Roarke - os livros são independentes entre si. O único contra é saber já o que se passou, afinal, com Eve e que ela não se quer lembrar e porque é que Summerset tanto protege Roarke. Esqueçam lá isso, não vos vou contar. Leiam e descubram...
Vamos à história.
A procuradora do ministério público, Cicely Towers, que já tinha trabalhado com Eve, aparece degolada numa zona pobre da cidade, fora do seu ambiente normal. Cicely era também amiga íntima do chefe de Eve e parceira de negócios de Roarke. Enquanto tenta desvendar o que se passou, Yvonne Metcalf é assassinada, da mesma forma, mesmo à porta do seu apartamento. Entre as duas falecidas um único ele comum - Roarke, o companheiro de Eve. Terá sido ele, que tem um passado obscuro, que as matou? E porque razão? o mistério adensa-se quando Louise Kirski é degolada, à porta da estação de televisão. Sem conseguir encontrar ligação alguma entre as três, resta a Eve reconstituir, com calma, os crimes e perceber se houve, ou não, alguma contradição nos testemunhos e qual é a motivação destes assassinatos.
Mas Eve não é só polícia. Também é mulher. E foi criança, uma criança que teve problemas e que os apagou da sua memória. Restou-lhe a dificuldade em aceitar os seus próprios sentimentos, principalmente em relação a Roarke. Será que vai aceitar que se apaixonou e que precisa tanto dele como ele dela?
É um bom livro para começar a descoberta desta faceta da Nora Roberts. Eu, pessoalmente, gostei imenso e recomendo a leitura. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Imitação Mortal

por Magda L Pais, em 18.05.17

 34889460.jpg

Imitação Mortal de J. D. Robb

Editado pela Chá das Cinco em 2017

ISBN: 9789897102943

Sinopse

Num jogo letal de gato e rato, Eve Dallas irá enfrentar um admirador de um dos mais infames assassinos de todos os tempos…

Um homem de capa e cartola aproxima-se de uma prostituta numa viela escura de Nova Iorque. Minutos depois, ela surge morta. No cenário do crime, um bilhete é endereçado à Tenente Eve Dallas, convidando-a a juntar-se a um jogo que irá revelar a identidade do criminoso. A carta contém apenas a assinatura de “Jack”.

Dallas é forçada a ir em perseguição de um assassino que sabe tanto de serial-killers quanto ela, um homem que estudou alguns dos homicídios mais infames de sempre. E não só é um especialista como quer deixar a sua própria marca.

Ele já escolheu a sua próxima vítima: Eve Dallas. E a única coisa que ela sabe é que o assassino planeia imitar o mais famoso assassino de sempre: Jack, o Estripador.

A minha opinião

Os cinco. Os sete. As minhas primeiras paixões literárias. Livros policiais para jovens. Mais tarde a minha paixão literária passou a ser ficção cientifica. Livros que se passariam no futuro tinham a minha preferência. Lembro-me de alguns que li e reli tantas vezes que me lembro, volvidos quase 30 anos, de quase todas as histórias.

Mais tarde passei a fase Agatha Christie. Li todos os policiais desta autora, também várias vezes (e ainda me lembro do nó no estômago sempre que lia o livro “cai o pano”).

Passei, como quase todos passamos, por aquela fase da leitura de romances. Não de cordel mas romances com qualidade. Com partes mais eróticas, com outras mais românticas. Claro que, nesta fase, Nora Roberts era a minha autora favorita.

Hoje só leio Nora Roberts, quando algum dos seus livros se aventura na fantasia como foi o caso da trilogia do Circulo. Mas leio, sempre com redobrado prazer, J. D. Robb. Sim, é parvo, eu sei, já que J. D. Robb é um pseudónimo de Nora Roberts mas, para mim, é como se fossem dois autores diferentes.

E porque esta introdução sobre as algumas das minhas fases literárias? Porque a série “mortal”, escrita de forma magistral por J.D. Robb mistura, num só livro, a ficção cientifica (os livros passam-se algures em 2059) os policiais, o romance (com umas pequenas pitadas de erotismo) e o mistério. Mas não só. J.D. Robb consegue, apesar dos temas habitualmente pesados, alguns momentos bem dispostos, com ironia, bem enquadrados. E tão bem que sabe ler um livro que faz tudo isto em versão Muito Bom!

Livros assim – como este Imitação Mortal – demoram pouco tempo a ler. Porque não os consigo largar enquanto não sei quem é o criminoso. E mesmo sabendo quem é o criminoso, quero perceber como é que ele é apanhado.

Este é o 17º livro desta série. Confesso que já li uns quantos (curiosamente ainda não li o primeiro) e, neste 17º faltou-me um ingrediente. Summerset, o empertigado mordomo de Roarke tirou férias e só aparece nas últimas páginas, o que me roubou algumas gargalhadas já que a relação que Summerset tem com Eve, a personagem principal e esposa de Roarke, é tão atribulada que nos dá direito a umas gargalhadas extras. Mas pronto, suponho que o rapaz tenha direito a férias também...

Neste livro – mais uma vez – a maldade humana vem ao de cima, com um assassino que mata por prazer, que usa e abusa do poder que detém sobre a vitima. Uma mente retorcida que mata com requintes de malvadez, cabendo a Eve descobrir quem é o criminoso a tempo de evitar mais assassinatos.

Um livro a ler, uma série a acompanhar. E não temam comprar este livro sem ter lido os restantes. Apesar de haver um fio condutor – as relações pessoais de Eve, Roarke, Peabody, Feeney, Mira, Commander Jack Whitney, Mavis, Nadine Furst e Summerset, que naturalmente, vão evoluindo de livro para livro –, cada um dos livros pode ser lido de forma independentemente porque a história principal começa e acaba.

Portanto, e em suma, se gostam de livros que misturam humor e mistério com romance e investigação policial com algumas pitadas de erotismo, este livro é o livro certo para ler. Se pensam que não gostam... bem, só posso acreditar que pensam isso porque ainda não leram nenhum desta série e, portanto, está na altura de o fazerem.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.