Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Tempestade de Guerra - Parte 2

por Magda L Pais, em 24.12.19

tempestade.jpg

Tempestade de Guerra - Parte 2 de Victoria Aveyard

Rainha Vermelha #5

Editado em 2019 pela Saida de Emergência

ISBN: 9789897731778

Sinopse

No tão aguardado desfecho desta série, qual o poder que vencerá depois de a tempestade de guerra passar?

A traição praticamente destruiu Mare Barrow, e a jovem não olha a meios para derrubar o governo de Norta e retirar a Maven o poder que este detém. Avizinha-se uma longa e dura batalha.

Mas nenhuma guerra pode ser vencida sem ajuda, e Mare vê-se obrigada a aliar-se ao jovem que partiu o seu coração para derrotar aquele que quase a destruiu. Os poderosos aliados Prateados de Cal, juntamente com Mare e a Guarda Escarlate, provam ser uma força imbatível.

Mas Maven é guiado por uma obsessão profunda e fará qualquer coisa para ter Mare de volta, mesmo que isso signifique destruir todos os que se atravessem no seu caminho.

Na segunda parte da conclusão desta extraordinária série, a guerra aproxima-se e tudo aquilo por que Mare lutou está em suspenso.

Será a vitória suficiente para derrubar os Prateados?

A minha opinião

E com este livro termina a série Rainha Vermelha.

Ou não...

Estava convencida que este livro iria encerrar a história de Mare e Cal de uma forma uau como merecia uma série que tanto prometia mas a verdade é que o final deixa demasiadas coisas em aberto, nomeadamente sobre a relação de Mare e Cal e sobre como se entenderam vermelhos e prateados após o fim da guerra.

Não me entendam mal, Rainha Vermelha é uma excelente série de fantasia. Victoria Aveyard criou um mundo dividido pelo sangue e pelas aptidões (ou pela falta de aptidões no caso dos vermelhos) mas, no fim, não conseguiu que a última parte da série prendesse tanto como os outros livros.

De todo o modo, a forma como a história nos é contada, pelas vozes de Iris, Mare, Cal, Evangeline e Maven deixa-nos perceber que nem tudo o que parece é. Ficamos (ou fiquei) com vontade de entender melhor Maven e de conhecer melhor outras personagens que aparentavam ser ricas e interessantes (como Farley, Kilorn ou Ptolemus).

Ainda assim, valeu a pena a leitura, principalmente pelas cenas das batalhas que são épicas!

Classificação: 

(este livro foi-me oferecido pela Saída de Emergência em troca duma opinião honesta e sincera)

May we meet again

Conheces o desafio de escrita dos Pássaros?

 Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Conheces o meu blog generalista?

Autoria e outros dados (tags, etc)

A Rapariga Sem Nome

por Magda L Pais, em 18.12.19

a rapariga sem nome.jpg

A Rapariga Sem Nome de Leslie Wolfe

(Agente especial Tess Winnett #1)

Tradução: Carla Ribeiro

ISBN: 9789898907745

Editado em 2019 pela Alma dos Livros

Sinopse

Os olhos azuis vidrados, o belo rosto, inerte, coberto de cintilantes grãos de areia. Os lábios entreabertos, como que para libertar um último suspiro. Quem é a bela rapariga encontrada ao amanhecer numa praia deserta? Qual é o seu segredo?

A agente especial Tess Winnett, do FBI, procura incessantemente respostas. A cada passo, a cada nova descoberta, desvenda factos perturbadores que conduzem à mesma conclusão: aquela não foi a única vítima. O assassino que procuram já matou antes.

Escondendo também um terrível segredo, a agente Tess Winnett enfrenta os seus receios mais profundos, numa emocionante corrida para apanhar o assassino, que se prepara para acabar com outra vida. Descobri-lo-á a tempo? Será capaz de o deter? A que preço?

AS REGRAS DO JOGO MUDARAM.

TAL COMO A DEFINIÇÃO DE SERIAL KILLER.

TODOS DESEJAMOS TER ALGUÉM. MAS ESTAREMOS DISPOSTOS A MORRER POR ISSO?

A agente especial Tess Winnett é apaixonada, ousada, forte e temperamental. Não hesita em arriscar a vida, numa busca incessante por toda a verdade e por um seria killer cruel que anda a tirar vidas sem piedade. Inteligente, desenvolta e teimosa, Tess levará os leitores numa memorável e aterradora investigação neste empolgante e apaixonante thriller.

A minha opinião

Desde que este livro saiu que tinha vontade de o ler. Nem sei bem se por causa da capa, da sinopse ou se duma mistura de ambos. Calhou lê-lo agora, depois de o ir buscar em ebook à loja da Kobo.

A Rapariga Sem Nome é um thriller que revolta o estômago. Houve ali um momento em que estava a tomar o pequeno almoço e tive de decidir entre ler o livro e comer porque as duas actividades não me pareceram compatíveis dadas as descrições. No outro extremo, A Rapariga Sem Nome fez-me sorrir num ou outro momento, provando, mais uma vez, que é possível, mesmo nos livros mais sombrios, haver apontamentos de humor.

A escrita é bastante fluida e a história prende-nos, da primeira à última página. Mas, ainda que nos prenda, acaba por não ter as reviravoltas que são habituais neste tipo de livro dado que o criminoso é "descoberto" praticamente a meio do livro de forma demasiado fácil (ou pelo menos foi o que me pareceu).

Ainda assim, e apesar disso, foi uma leitura que valeu a pena. 

Leia aqui as primeiras páginas

Classificação: 

May we meet again

Conheces o desafio de escrita dos Pássaros?

 Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Conheces o meu blog generalista?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Espera Por Mim

por Magda L Pais, em 11.12.19

se eu ficar.jpg

Espera Por Mim de Gayle Forman 

Se eu ficar #2

ISBN: 9789722354080

Editado em 2014 pela Editorial Presença

Sinopse

Passaram três anos desde que o amor de Adam ajudou Mia a recuperar após o trágico acidente que vitimou a sua família - e três anos desde que Mia decidiu afastá-lo da sua vida sem lhe dar explicações. Quando uma noite os seus caminhos se cruzam na cidade de Nova Iorque, ambos têm a oportunidade de se confrontar com os fantasmas do passado e de abrir o coração ao futuro.

A minha opinião

Quando terminei o livro Se eu ficar, não precisei de pensar muito sobre o livro a ler de seguida. Aliás, quando percebi que o ia acabar ao almoço - e como o li em papel - optei por levar o kobo a almoçar comigo para poder começar logo a ler este Espera Por Mim.

Não me emocionou nem sequer me deixou com uma eventual lágrima. Mas (ou talvez precisamente por isso) gostei mais deste. Talvez por ser um livro menos dramático, sem mortes envolvidas e com alguns momentos de humor (sempre valorizados, pelo menos por mim).

Espera Por Mim é uma lição de vida sobre o luto duma relação. Sobre perdoar e esquecer. Sobre o amor que pode vencer tudo e todos, assim se queira. A empatia que sentimos por Adam, desde as primeiras linhas, leva-nos, primeiro, a questionar as decisões de Mia mas depois, quando a percebemos... entendemos que não poderia ser de outra forma:

Eu precisava odiar alguém e tu eras a pessoa que mais amava, por isso te odiei

Fiquei presa à dor de Adam de tal modo que quase não conseguia largar o livro. E isso diz tudo o que precisam de saber sobre Espera Por Mim.

Leia aqui as primeiras páginas

Classificação: 

May we meet again

Conheces o desafio de escrita dos Pássaros?

Já votaste para o novo nome dos Sapos do Ano?

 Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Conheces o meu blog generalista?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Se Eu Ficar

por Magda L Pais, em 10.12.19

se eu ficar.jpg

Se Eu Ficar de Gayle Forman

Se Eu Ficar #1

Tradução: Rita Graña

ISBN: 9789722353939

Editado em 2014 pela Editorial Presença

Sinopse

Naquela manhã de fevereiro, quando Mia, uma jovem de dezassete anos, acorda, as suas preocupações giram à volta de decisões normais para uma rapariga da sua idade: permanecer junto da família, do namorado e dos amigos ou deixar tudo e ir para Nova Iorque para se dedicar à sua verdadeira paixão, a música. É então que ela e a família resolvem ir dar um passeio de carro e, numa questão de segundos, um grave acidente rouba-lhe todas as escolhas. Nas vinte e quatro horas que se seguem e que talvez sejam as suas últimas, Mia relembra a sua vida, pesa o que é verdadeiramente importante e, confrontada com o que faz com que valha mesmo a pena viver, tem de tomar a decisão mais difícil de todas.

A minha opinião

Já toda a gente sabe que sou um bloco de gelo. Que não choro por razão alguma, não me emociono com facilidade e a minha voz raramente fica embargada.

Mas há sempre uma primeira vez. E, enquanto lia Se Eu Ficar, pela primeira vez estive a um minuto de pegar num lenço de papel quando o avó de Mia

inclina-se sobre a minha cabeceira, aproxima o rosto da minha orelha e sussura:

- Está tudo bem - diz-me ele. - Se quiseres ir, está tudo bem. Toda a gente quer que fiques. Eu próprio quero que fiques, mais do que qualquer outra coisa na minha vida. - A sua voz vacila com emoção. Para, aclara a garganta, inspira e continua. - Mas isso é o que eu quero e percebo que possa não ser aquilo que tu queres. Por isso, queria apenas dizer-te que compreendo se fores. Não faz mal se tiveres de deixar-nos. Não faz mal se tiveres de parar de lutar.

Com as devidas adaptações, foi esta a minha despedida dos meus avós. Do meu cunhado. Da minha tia. E, por momentos, estava lá de novo, despedindo-me de todos eles, dizendo-lhes que tudo ia ficar bem.

(e ficou. Num dos casos demorou mas ficou).

Se Eu Ficar leva-nos pela escolha de Mia entre ir e ficar. Mia revê tudo o que realmente importa para que possa decidir se fica ou vai. Porque, no fim, a escolha é apenas dela.

Se Eu Ficar, tal como Sete Minutos Depois da Meia-Noite, mexe com as nossas emoções mas, ao mesmo tempo, dá-nos algumas armas para enfrentar o medo de perdermos quem amamos.

Ainda bem que este livro está a circular no âmbito do livro secreto!

Leia aqui as primeiras páginas

Classificação: 

May we meet again

Conheces o desafio de escrita dos Pássaros?

Já votaste para o novo nome dos Sapos do Ano?

 Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Conheces o meu blog generalista?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Território Selvagem

por Magda L Pais, em 09.12.19

anne.jpg

Território Selvagem de Anne Bishop

O Mundo dos Outros #2

Os Outros #7

Editado pela Saida de Emergência em 2019

ISBN: 9789897731792

Sinopse

Será que os humanos e os Outros conseguem viver lado a lado sem se destruírem?

Por todo o mundo existem cidades-fantasma, regiões onde os humanos foram aniquilados como retaliação pelo massacre dos Outros. Um desses lugares é Bennett, uma cidade no norte de Elder Hills rodeada por território selvagem. Gradualmente, a cidade volta a ser habitada, e a comunidade humana e os Outros fazem um esforço para viver e trabalhar em conjunto: uma jovem oficial de polícia é contratada como delegada de um xerife Lobo; uma espécie mortal de Outros quer gerir um salão ao estilo humano; um casal com quatro crianças adotadas — uma delas uma profetisa de sangue — espera ser aceite como membro efetivo da comunidade.

Mas à medida que as lojas e os escritórios são reabertos e as pessoas reconstroem as suas vidas, a cidade de Bennett começa a atrair a atenção de outros humanos que procuram o lucro. E a chegada do Clã Blackstone, composto por foras da lei e jogadores, vai revelar segredos há muito escondidos...

A minha opinião

Anne Bishop é a minha escritora favorita, quanto a isso não temos dúvidas. E Os Outros é, seguramente, uma das melhores séries desta escritora. E, portanto, quando recebi este livro para ler... foi dia de Natal (até porque veio, ao mesmo tempo, O Armazém e Styxx. Estive quase quase a meter férias para os ler)

Território Selvagem volta a mostrar-nos como há humanos que são idiotas por natureza e que não aprendem com os seus erros nem com os erros dos outros.

ainda se verifica uma tolerância atenta de um lado (Outros) e um profundo receio pelos que vivem na noite no outro (Humanos), mas, se tiverem cuidado, os seres humanos sobrevivem.

Quase sempre sobrevivem.

Em Thaísia é a natureza que sobrevive sempre. Aos humanos é apenas permitido que vivam se não interferirem com os Outros (os terra indigene). Em vez de conquistadores e destruidores da natureza, os seres humanos são carne. E da melhor!

Mas, ainda que a série seja uma das melhores e a autora seja a minha favorita, Território Selvagem podia ser melhor se não tivesse tantas histórias a acontecer ao mesmo tempo. Não deixa de ser um excelente livro (é Anne Bishop, é Os Outros) mas não é tão excelente como as outras.

A escrita continua maravilhosa, como apenas Anne Bishop consegue. As personagens bem caracterizadas e construidas. A história (ou as histórias) vão evoluindo aos poucos, assim com a interacção entre humanos e Outros (será que Jesse e Tolya se acabam por entender depois do fim?), com vários momentos de boa disposição, intercalados com momentos mais tensos.

Valeu a pena!

Agora... quando é que saem mais livros de Anne Bishop por cá? Isso sim é importante

Classificação: 

May we meet again

Conheces o desafio de escrita dos Pássaros?

Já votaste para o novo nome dos Sapos do Ano?

 Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Conheces o meu blog generalista?

Autoria e outros dados (tags, etc)




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

calendário

Dezembro 2019

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031