Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Coronavírus e a literatura

por Magda L Pais, em 31.01.20

A propósito desta epidemia

(que se pode - rapidamente - transformar em pandemia com contornos ainda por determinar se não forem cumpridas regras básicas de quarentena e de higiene)

questionavam, num dos muitos grupos de leitura que acompanho, que livro nos arrependemos de ler porque se pode tornar realidade.

Pois bem, no meu caso, claramente Estação Onze. E porquê? porque nesse livro uma pandemia de gripe mata mais de 90% da população terrestre em muito pouco tempo (duas ou três semanas), levando à extinção do modo de vida que hoje conhecemos e ao fim de muitas benesses que tomamos como garantidas, como medicamentos ou água na torneira. Não que eu ache (ou espere) que isso vá acontecer...

E vocês, que livro vos arrepia quando ouvem as noticias sobre o Coronavírus?

May we meet again

Conheces o desafio de escrita dos Pássaros?

 Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Conheces o meu blog generalista?

Autoria e outros dados (tags, etc)

O Centro do Labirinto

por Magda L Pais, em 30.01.20

centro labirinto.jpg

O Centro Do Labirinto de Agustín Fernández Paz

Tradução de Isabel Ramalhete

Publicado em 2002 pela Ambar

Sinopse

Em meados do século XXI, a doutora Sara Mettmann, membro da organização que, da sombra, rege os destinos da Europa, viaja para a Galiza na companhia do seu filho, David. O misterioso desaparecimento de David será o início de uma cadeia de acontecimentos desconcertantes que, como um estranho pesadelo, acabará por os arrastar para uma aventura que mudará para sempre as suas vidas e talvez o futuro da Humanidade.

A minha opinião

Não fosse o livro secreto e, muito provavelmente, nunca teria lido este livro que acaba por ser uma espécie de distopia, dum mundo onde a sociedade mundial, numa tentativa de reduzir os conflitos, se uniformizou em todos os aspectos mas que, precisamente por causa dessa uniformização, se perde a identidade dos povos e a capacidade inventiva do ser humano.

Tendo como pano de fundo o desaparecimento de David e a busca de Sara pelo filho, O Centro do Labirinto acaba por ser um alerta para os problemas sociais. ambientais e políticos da nossa era.

Não é, certamente, a melhor obra literária mas é um livro de leitura agradável.

 

Classificação: 

May we meet again

Conheces o desafio de escrita dos Pássaros?

 Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Conheces o meu blog generalista?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ele e Ela

por Magda L Pais, em 25.01.20

convite lançamento Ele e Eçla_resized_20200125_120038345.jpg

Sinopse

Ele trabalha demais. Ela abdicou de tudo em prol dos filhos.

Os anos foram passando e um fosso cresceu entre eles sem que se apercebessem.

Agora com os filhos adultos ela depara-se com uma vida solitária. O marido tornou-se um estranho.

Ele não reconhece a esposa que o espera em casa. Olha para ela e questiona-se onde está a mulher que ele tanto admirava.

Das discussões passam simplesmente a ignorarem-se.

Será que ainda existe alguma coisa a salvar? Conseguirão evitar o divórcio?

***

A nossa Catarina Reis, além de escrever aqui e de participar aqui ainda arranjou tempo para escrever um livro e vai lança-lo no dia 1 de Fevereiro em Alenquer. Infelizmente à mesma hora em que já tenho um compromisso inadiável senão seguramente que lá estaria (não estou fisicamente mas estarei em espírito).

E vocês, vão lá estar?

May we meet again

já se inscreveram no segundo desafio de escrita dos Pássaros?

 Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Conheces o meu blog generalista?

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

A Rapariga no Gelo

por Magda L Pais, em 19.01.20

35274024._SY475_.jpg

A Rapariga No Gelo de Robert Bryndza

Detective Erika Foster #1

ISBN: 9789899970588

Editado em 2017 pela Alma dos Livros

Sinopse

Quando um rapaz descobre o corpo de uma mulher debaixo de uma espessa camada de gelo num parque do sul de Londres, a inspetora-chefe Erika Foster é imediatamente chamada para liderar a investigação. A vítima, uma jovem bela e rica da alta sociedade londrina, parecia ter a vida perfeita. No entanto, quando Erika começa a investigar o seu passado, vislumbra uma relação entre aquele homicídio e a morte de três prostitutas, encontradas estranguladas, com as mãos amarradas, abandonadas nas águas geladas de outros lagos de Londres.

A sua última investigação deu para o torto, e agora Erika tem a carreira presa por um fio. Ao mesmo tempo que luta contra os seus demónios pessoais, enfrenta um assassino altamente mortífero e que se aproxima tanto mais dela quanto mais próxima ela está de expor ao mundo toda a verdade. Conseguirá Erika apanhar o assassino antes de ele escolher a próxima vítima?

A minha opinião

Como sempre - Magda sendo Magda - e o primeiro livro que li desta série foi o sexto - não é que seja grave, até porque cada livro tem uma história principal mas, havendo uma ligação entre os livros, devia ter começado pelo primeiro.

Enfim...

Primeiro policial do ano (antes de me lançar na aventura de ler Os Miseráveis de Victor Hugo) e, ao mesmo tempo, primeiro thriller. Algumas descrições são tão vividas que, tive, de vez em quando, de interromper a leitura para respirar fundo (nem todas, nem todas).

As personagens estão muito bem construidas e confesso que fui surpreendida quer pelo autor do crime quer pelas razões que levaram a que acontecesse. São abordados, ao longo do livro, vários temas pertinentes e actuais. A escrita é fluida e prende a atenção.

A Rapariga no Gelo é um livro que não apetece largar. Fiquei com vontade de procurar os outros livros desta série.

Leia aqui as primeiras páginas

Classificação: 

May we meet again

já se inscreveram no segundo desafio de escrita dos Pássaros?

 Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Conheces o meu blog generalista?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ready Player One

por Magda L Pais, em 05.01.20

ready playo.jpg

Ready Player One de Ernest Cline

ISBN: 9789722358231

Editado em 2018 pela Editorial Presença

Sinopse

Em 2044 o mundo tornou-se um lugar triste, devastado por conflitos, escassez de recursos, fome, pobreza e doenças. Wade Watts só se sente feliz na realidade virtual conhecida como OASIS, onde pode viver, jogar e apaixonar-se sem constrangimentos. Quando o criador do OASIS morre, deixa a sua imensa fortuna e o controlo da realidade virtual a quem conseguir resolver os enigmas que aí escondeu. Os utilizadores têm apenas como pistas a cultura pop dos anos 1980. Começa assim uma frenética e perigosa caça ao tesouro.

Nos primeiros anos, milhares de jogadores tentam solucionar o enigma inicial sem sucesso. Até que Wade por acaso desvenda a primeira chave. De um momento para o outro, vê-se numa corrida desesperada para vencer o prémio, uma corrida que rapidamente continua no mundo real e que põe em risco a sua vida.

A minha opinião

Na noite de Natal o namorado da minha irmã, numa conversa sobre livros, recomendou-me este. Achei a premissa engraçada e, no fim de semana, andei à procura na net duma versão aceitável para leitura (isto de ir buscar ebooks piratas tem a desvantagem de que se encontrar, de vez em quando, versões com letras demasiados pequenas ou desformatados).

Não era exactamente geek na minha adolescência. Nos anos 80 do século passado a leitura era um vicio (pensando melhor, ainda é) e pouco ligava a jogos. Às vezes jogava ao Chuckie Egg ou ao Fred no spectrum do meu irmão mas nem sempre. Eles jogavam, eu ia lendo.

Talvez por isso algumas referências e notas deste livro passaram-me ao lado. Mas, por outro lado, não fizeram muita falta para a leitura e para perceber a história.

Confesso que, em alguns momentos, tive dificuldade em largar o livro, principalmente nos momentos cruciais, quando Wade está quase a descobrir alguma pista para alguma das chaves ou nos momentos em que está a lutar contra o tempo para ser o primeiro a chegar aos portões.

Ready Player One mostra-nos como é fácil largar a vida real e viver apenas numa realidade virtual, num mundo onde podemos ser quase tudo o que queremos. Mostra-nos como é mais fácil fazer amigos num mundo fictício do que na realidade. Mas, acima de tudo, Ready Player One mostra-nos a solidão de muitos jogadores por esse mundo fora, que escolhem isolar-se na vida real para se dedicarem apenas ao mundo virtual.

Foi, sem dúvida, uma boa forma de iniciar este ano de 2020.

 

 

 

Leia aqui as primeiras páginas e veja aqui o trailer do filme

Classificação: 

May we meet again

Conheces o desafio de escrita dos Pássaros?

 Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Conheces o meu blog generalista?

Autoria e outros dados (tags, etc)



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

calendário

Janeiro 2020

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031