Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A Avó e a Neve Russa

por Magda L Pais, em 14.03.17

a avó.jpg

A Avó e a Neve Russa de João Reis

ISBN: 9789898843654

Editado em 2017 pela Elsinore

Sinopse

As folhas caídas das árvores giram à minha volta com o vento, mas aperto mais o casaco, porque nem o vento nem as folhas-bailarinas me alegram com a melancolia, só me deixam ensopado em tristeza, como a chuva nos faz por vezes. Os homens não choram. Avanço. Os catos que vejo alinhados na rua voltam a ser árvores e a Babushka, deitada na cama de hospital, é uma criança que aumentou e encolheu.

Babushka está doente. Esta russa idosa, emigrante no Canadá, sobreviveu ao acidente nuclear de Chernobyl. Esconde no peito a doença que a obriga a respirar a contratempo e lhe impõe uma tosse longa e larga e comprida e sem fim — um mal que a faz viver mergulhada nas memórias do seu passado luminoso, a neve pura da Rússia, recordação sob recordação.

Na fronteira com a realidade caminha o seu neto mais novo, de dez anos, um menino que não desiste de puxar o fio à meada e de tentar devolver a avó ao presente. Para ajudar Babushka, precisa de encontrar uma solução para os seus pulmões destruídos, sacos rasgados e quase vazios — mesmo que isso o obrigue a crescer de repente e partir em busca de uma planta milagrosa, o segredo que poderá salvar a família e completar a matrioska que só ele vê.

Narrado na primeira pessoa e escrito a partir da perspetiva de uma criança, A Avó e a Neve Russa é um livro feito da inocência e da coragem com que se veste o deslumbramento das infâncias. Romance simples e emotivo sobre a força da memória e da abnegação, relata a peregrinação de um neto através da esperança, do Canadá ao México, para encontrar a possibilidade de um final feliz.

 

A minha opinião

A alma da Babushka era então muito leve; e eu percebi que ela deixou de ser quem era quando não viu, no branco que caía no exterior, a neve russa da sua infância.

Termina, assim, um dos livros mais ternurentos que li nos últimos tempos (por culpa exclusiva da Márcia - a dar cabo da minha carteira desde há uns meses largos!).

Tal como em Uma vida à sua frente, A Avó e a Neve Russa tem, como narrador, uma criança, com toda a sua inocência e visão prática das coisas. Nunca sabemos o nome nem a idade da criança mas sabemos, com toda a certeza, que ama a sua avó e que, por ela, se dispõe a todos os sacrifícios.

Amplo de ternura - como já vos disse - mas também da inocência própria duma criança, A Avó e a Neve Russa é também um livro de esperança. Porque é apenas isso que o narrador pretende - que a sua avó se cure e que possa continuar a cuidar dele e do seu irmão.

Confesso que, influenciada já pela opinião da Márcia (já lá foram ler?), sabia que o autor não se iria descuidar na escrita. Os bons escritores são assim e, pelos vistos, João Reis caminha nessa direcção (mais um autor a conhecer melhor, seguramente!). O que não esperava, de todo, era ver alguns dos meus pensamentos enquanto criança expressos duma forma tão deliciosa. Ora leiam:

17264657_10155208487014636_6255280704460702989_n.jpg

Quantos de vós não pensaram o mesmo, quando eram crianças, e vos diziam que iam ao estrangeiro? Eu sim! Tal como me fazia confusão passar o ano e continuar tudo igual.

A ternura e a inocência duma criança a nu num livro que todos deviam ler. Sem excepção.

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

De Jardim de Mil Histórias a 23.03.2017 às 14:30

Quero muito, muito ler este livro!!!
A Márcia costuma ter esse efeito :))
Beijinhos e boas leituras

Comentar post




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

calendário

Março 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031