Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Número Zero

por Magda L Pais, em 24.04.18

zero.jpg

Número Zero de Umberto Eco

ISBN: 9789896166434

Editado em 2015 pela Gradiva

Sinopse

Este é um romance que não deixa ninguém indiferente à reflexão sobre os jornais e o jornalismo. Como cenário de fundo tem uma redacção de um jornal diário, que se está a constituir de modo apressado e por razões que menos se relacionam com o objectivo de preparar boa informação e mais respeitam à criação de uma «fachada» para servir interesses próprios. Neste caso, não os interesses dos jornalistas, poucos, relativamente mal pagos e com histórias de carreira onde o sucesso não tem tido lugar, mas sim os interesses de quem tem poder, dinheiro ou ambos. Poderá um órgão de comunicação social servir para ter os inimigos na mão e chegar aonde se quer?

Um jornal que está a dar os primeiros passos muito tem para decidir. E esta obra de Umberto Eco torna-se, nesta vertente, numa espécie de «manual» de decisões onde a qualidade do produto final está mais arredada das preocupações do que seria desejável. Neste jornal, designado Amanhã, há espaço para criar notícias, reciclar notícias e encobrir notícias. Sendo esta uma obra de ficção, a leitura que pode ser feita do que lá se escreve vai além da boa leitura que a narrativa proporciona.

Poder e jornalismo associam-se aqui a teorias da conspiração. Um redactor paranóico que anda pela Milão em que a história se passa, segue atrás de pistas que remontam ao fim da Segunda Guerra Mundial e, somando factos, chega a um complexo resultado que tem tudo para convencer. Começa pelo cadáver de um pseudo-Mussolini e segue pelos meandros da política, envolvendo o Vaticano, a máfia, os juízes e os serviços secretos.

A minha opinião

"Ouvi" falar deste Número Zero pela primeira vez pela voz da Vanita, p'ra aí há dois anos. Depois, um dia, encontrei-o à venda, comprei e lá lhe calhou a vez da leitura.

Não obstante nunca ter trabalhado ou sequer me aproximado duma redacção dum jornal, consegui sentir-me dentro duma durante este livro. Ou, vá, em parte do livro. Achei este tema - o número zero dum jornal - bastante interessante e estava curiosa em saber como se faz (o mais próximo que estive disso foi quando saiu o número 1 do jornal Público e a minha tia passou dias a fio no jornal para que corresse tudo bem). A curiosidade matou o gato mas este livro não matou a minha, pelo menos não na totalidade.

Confesso que partes do livro fizeram sono. Quando Braggadocio disserta sobre a sua teoria da conspiração, por mais interessante que tal possa parecer... eu quase que adormeci e foi com custo que acabei por a ler toda. Outras partes foram mais interessantes, nomeadamente as reuniões de direcção e a forma como se fala em manipulação das noticias, em dar aos leitores aquilo que os jornalistas acham que eles querem.

Não posso, em consciência, dizer que é um bom livro. Direi antes que achei o Número Zero muito fraco para um autor da excelência de Umberto Eco. Lê-se, claro que se lê, mas esperava mais. E melhor...

(leia aqui as primeiras páginas)

Classificação: 

Entretanto...

Conheces o meu blog generalista?

Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Autoria e outros dados (tags, etc)


6 comentários

De vanita a 24.04.2018 às 09:30

Também tive essa sensação de que está a anos-luz do que o Umberto Eco consegue fazer. Beijinhos :)

De Magda L Pais a 24.04.2018 às 09:32

Seguramente que está. Chegaste a ler O Nome da Rosa?
Beijinhos

De vanita a 24.04.2018 às 09:47

Apenas excertos...

De Magda L Pais a 24.04.2018 às 09:52

Esse sim vale a pena

De Gaffe a 26.04.2018 às 16:32

Sabes que gostei tanto desta obra?!
Falei nela aqui:
https://agaffeeasavenidas.blogs.sapo.pt/a-gaffe-numero-zero-461353

:)*

De Magda L Pais a 27.04.2018 às 08:59

Não me lembro mesmo nada de ler esse post.... mas tambem já lá vão uns anitos e eu nem me lembro do que almocei ontem eheheheheheh

Umberto Eco é fabuloso, um autor de quem espero sempre mais. E acho que este livro peca por não explorar tanto a parte do jornalismo de meia tigela. As partes passadas na redação, com aquelas reuniões e decisões foram, sem dúvida, as melhores e gostava que se tivesse focado mais nesse lado.

Comentar post




Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.