Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O Homem das Castanhas

por Magda L Pais, em 13.11.19

50 anos/50 perguntas. Já fizeste a tua?

homem castanhas.jpg

O Homem das Castanhas de Søren Sveistrup

Tradução de Rita Figueiredo

ISBN: 9789896657390

Editado em 2019 pela Suma de Letras

Sinopse

Uma tempestuosa manhã de Outubro. Num tranquilo subúrbio de Copenhaga, a Polícia faz uma descoberta terrível. No recreio de um colégio, uma jovem é encontrada brutalmente assassinada, e falta-lhe uma das mãos. Pendurado por cima dela, um pequeno boneco feito com castanhas.

A jovem e ambiciosa detective Naia Thulin é designada para desvendar o caso. Com o seu colega Mark Hess, um investigador que acabou de ser expulso da Europol, descobrem uma misteriosa prova sobre «o homem das castanhas», nome com que os media baptizaram o assassino. Existem evidências que o ligam a uma menina que desapareceu um ano antes e foi dada como morta: a filha da ministra Rosa Hartung.

Mas o homem que confessou o assassínio da menina, um jovem que sofre de uma doença mental, já está atrás das grades e o caso há muito tempo fechado. Quando uma segunda mulher é encontrada morta e, junto dela, mais um boneco de castanhas, Thulin e Hess suspeitam de que possa haver uma ligação entre o caso Hartung e as mulheres assassinadas.

Mas qual é a relação entre as duas mortes? Thulin e Hess entram numa corrida contra o tempo. O assassino tem uma missão e está longe de a terminar.

A minha opinião

Tenho de confessar. Resolvi ler este livro por causa das castanhas. Pois. De todas as razões pelas quais eu poderia ter escolhido ler O Homem das Castanhas (onde se inclui o facto do autor ter escrito The Killing e de estar muito bem classificado no Goodreads), eu escolhi lê-lo por causa das castanhas.

Tenho problemas, eu sei.

De qualquer maneira e independentemente da razão pela qual resolvi ler o livro, a verdade é que O Homem das Castanhas é, talvez, um dos melhores thrillers que li nos últimos tempos. Algumas das cenas (principalmente uma das últimas) deu-me volta ao estômago e "conseguiu" que eu me sentasse na cadeira do dentista mais horrorizada com o que tinha lido do que o facto de estar numa cadeira de dentista (odeio dentistas e tenho pavor a agulhas...).

O Homem das Castanhas tem todos os ingredientes que fazem um bom policial. Reviravoltas, pistas falsas, personagens empáticas e outras que odiamos. Situações inesperadas e um final surpreendente. E, mais surpreendente que o final, a hipótese de haver uma continuação (aparentemente sim, vai ter uma sequela). Mas, mais que isso, aborda as famílias de acolhimento e as crianças que acolhem, seja por que razão for e a sua importância no desenvolvimento dos menores acolhidos bem como da vertente social e política destas decisões tornando a história mais intensa. 

Tive, em alguns momentos, dificuldade em largar este livro. Precisamente pela intensidade da história e pelos desenvolvimentos. Mas (e há um mas), alturas houve em que a escrita me irritou. Não sei bem explicar mas algumas frases (demasiadas frases) soavam estranhas. Não sei se da tradução (quero acreditar que não) se é mesmo culpa do autor mas certo é que aconteceu o que me tirou algum do prazer de ler este livro.

Mas, mesmo assim, sem dúvida que O Homem das Castanhas é excepcional e merece ser lido.

Leia aqui as primeiras páginas e veja aqui o Booktrailer

Classificação: 

May we meet again

Conheces o desafio de escrita dos Pássaros?

Já podes votar nos finalistas dos Sapos do Ano 2019

 Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Conheces o meu blog generalista?

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

De Happy a 13.11.2019 às 12:41

Sabes que já li algo dele (não sei se foi o homem do giz) e gostei bastante, Vou acrescentar à lista!

De Magda L Pais a 13.11.2019 às 12:45

O homem de giz é do C J Tudor. Terá sido algum do the killing? 

De João Silva a 14.11.2019 às 12:10

Curioso ou não o que me cativou foi mesmo o nome e também só o leria pelo título. Agora, se o ler, será por sua causa, pelo que "muito obrigado" =D
Fiquei curioso.
A terminar, a propósito dos nomes, digo também que um dos melhores livros que li tinha o título "Fantasia para dois coronéis e uma piscina", de Mário de Carvalho.

De Magda L Pais a 14.11.2019 às 13:01

Há títulos muito estranhos mesmo e que acabamos por descobrir que dão livros extraordinários. Este é um deles sem dúvida. Merece uma boa leitura

Comentar post




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

calendário

Novembro 2019

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930