Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O Poder

por Magda L Pais, em 21.05.18

o poder.jpg

O Poder de Naomi Alderman

ISBN: 9789897731044

Editado em 2018 pela Saída de Emergência

Sinopse

Quando as raparigas ganham o poder de causar sofrimento e morte, quais serão as consequências?

E se, um dia, as raparigas ganhassem subitamente o estranho poder de infligir dor excruciante e morte? De magoar, torturar e matar? Quando o mundo se depara com esse estranho fenómeno, a sociedade tal como a conhecemos desmorona e os papéis são invertidos. Ser mulher torna-se sinónimo de poder e força, ao passo que os homens passam a ter medo de andar na rua, sozinhos à noite.

Ao narrar as histórias de várias protagonistas, de múltiplas origens e estatutos diferentes, Naomi Alderman constrói um romance extraordinário que explora os efeitos devastadores desta reviravolta da natureza, o seu impacto na sociedade e a forma como expõe as desigualdades do mundo contemporâneo.

A minha opinião

E se o mundo fosse governado pelas mulheres e os homens fossem o sexo mais fraco? Seria um mundo mais ou menos violento? mais ou menos igualitário? O Poder parte precisamente dessa premissa. Um dia - na sociedade de hoje - as mulheres começam a ter uma meada eléctrica que lhes dá um poder nunca antes visto. E, num mundo de homens, elas começam a impor-se e a vingar-se de anos (séculos) em que foram consideradas as mais fracas, as que se tinham de vergar à vontade dos homens. E um dia, mais de 5000 anos depois das primeiras mulheres descobrirem que tinham a meada, como seria a nossa sociedade?

Intrigante... Creio que esta é a palavra que melhor descreve este livro que está com uma concepção muito interessante, como se fosse um manuscrito dum livro de história, enviado por um homem a uma mulher. Uma espécie de conversa entre amigos (as cartas entre ambos estão no inicio e no fim do livro). Curioso como, no fim, percebemos que a nova ordem da sociedade é totalmente inversa à actual, como a história seria reescrita (terão alguma vez as mulheres sido o sexo fraco e oprimido?).

Mas não podemos ficar por ai. Porque O Poder também é um livro que mexe com as nossas convicções. Não é uma leitura confortável nem sequer uma leitura aprazível. Está, seguramente, ao nível de 1984 ou Fahrenheit 451 como distopia e mostra como o poder pode corroer e destruir.

Porque O Poder também mostra como as relações de amizade, de amor ou familiares podem ser facilmente destruídas quando se é mais forte que os outros.

O Poder é, seguramente, dos livros que li recentemente, o mais perturbador, o mais violento (algumas descrições são de revoltar o estômago dos mais sensíveis), o mais intrigante e, ao mesmo tempo, um dos mais brilhantes. A reler certamente daqui a um ou dois anos para absorver melhor tudo o que nos transmite. 

(leia aqui as primeiras páginas)

Classificação: 

(este livro foi-me oferecido pela Saída de Emergência em troca duma opinião honesta e sincera)

Entretanto...

Conheces o meu blog generalista?

Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Autoria e outros dados (tags, etc)


13 comentários

De Sofia a 21.05.2018 às 12:30

Parece-me interessante!
Não, sei até que o ponto o poder também poderá influenciar as mulheres e torna-los ditadoras, mas creio que seria um pouco diferente de um mundo governado pelos homens, resta saber até que ponto...

De Magda L Pais a 21.05.2018 às 13:35

Eu também pensava assim... até ler este livro

De sweet a 21.05.2018 às 17:29

Tenho ouvido opniões "mistas" em relação a este, mas convenceste-me quando escreveste que estava ao nível de 1984!

De Magda L Pais a 21.05.2018 às 17:40

Tens mesmo de ler. Este livro entranha-se mesmo! fiquei fã

De Fátima Bento a 30.05.2018 às 17:45

Não li o livro, já tinha lido (como quase toda a gente) sobre o livro, e a ideia com que fico quando penso na premissa de que o plot parte, é que ia tudo ficar muito igual (passada a raiva inicial, em que iria ficar pior).
Neste momento não me vejo a ler esse livro - não estou nem com cabeça nem com estômago - mas faz parte da minha bucket list.
(e a quantidade de vezes que escrevi livro, hãn?)

De Magda L Pais a 31.05.2018 às 16:25

quando o quiseres ler é só dizeres que te empresto. Vale mesmo a pena, até como reflexão

(e viste que não escrevi, uma única vez, livro?) ahahahahahha

De Fátima Bento a 08.06.2018 às 21:23

Obrigada. Desculpa só ter respondido agora... depois digo-te :)

De Narciso Baeta a 30.05.2018 às 17:47

O sofrimento não é comparável, é subjetivo!

De Magda L Pais a 31.05.2018 às 16:25

imensas coisas são subjectivas. Ainda assim são importantes

De Cherry Cherryy a 30.05.2018 às 20:12

A premissa desse livro é mesmo intrigante, interessante pegar no reverso e construir toda uma narrativa a partir daí, para depois tirarmos conclusões sobre a nossa sociedade. Tenho mesmo que ler!
Beijinhos
http://www.lifeofcherry.pt/

De Magda L Pais a 31.05.2018 às 16:55

Muito intrigante mesmo e que nos leva a questionar imensas coisas. É fabuloso por isso mesmo

De Curly a 31.05.2018 às 07:13

Também li e fiquei muito frustrada com o mau uso do poder. Achei um desperdício tanta violência e ganância. Mas é um livro brutal.

De Magda L Pais a 31.05.2018 às 16:56

é brutal precisamente por nos mostrar como o poder pode ser mau usado e como mexe com as relações. Muito muito brutal, sem dúvida

Comentar post




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

calendário

Maio 2018

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031