Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Leitura Alheia: Crónica dos Bons Malandros

por Magda L Pais, em 24.09.18

12998448.jpg

Crónica dos Bons Malandros de Mário Zambujal

ISBN: 9789898452320

Editado em 2011 pelo Clube do Autor

Sinopse

Sinto-me sequestrado por estes bons malandros". Aos livros que fui escrevendo, e outros que venha a escrever, não lhes valem possíveis méritos. Mais de trinta anos depois de saltarem à cena, sem outra pretensão do que fazer sorrir circunstanciais leitores, os bons malandros não arredam pé e ganharam a afeição de gerações sucessivas. Nada mais surpreendente, para quem lhes deu vida, esta longevidade que permite divertir jovens de hoje, tal como acontecera com seus pais e mesmo avós. Aqui se apresenta uma nova (e esmerada) edição de um livro que já galgou pelo cinema e pelo teatro e ameaça novos estrondosos cometimentos. Entretanto, o que o autor ambiciona é o mesmo de sempre: proporcionar prazer de leitura a quem se dispõe à descoberta das singulares aventuras destes bons malandros. "Se eles vos divertirem, cumprem o seu destino."

A opinião do Silent Man

Antes de mais, queria agradecer à Magda o convite para esta magnífica rubrica. Fico sempre lisonjeado quando me convidam para estas coisas e arranjo sempre um tempinho para participar da melhor forma possível.

O livro que vos venho falar é um clássico da literatura contemporânea portuguesa. É provavelmente o livro mais conhecido do Mário Zambujal e é de certeza o livro que já li mais vezes na vida. Volta que não vira, quando preciso de me rir um bocado, pego nele e leio-o.

É um livro pequeno, que se lê em duas horinhas a bom ritmo ou, se quisermos mesmo desfrutar, numa viagem de comboio para o Porto. E cada página promete muitas e boas gargalhadas! Isto digo-vos eu que não percebo nada disto.

O livro fala de uma quadrilha de ladrões que, nos anos 70 a 80, resolve fazer um assalto completamente “fora da caixa” a uma exposição de jóias René Lalique, na Gulbenkian. É assim que começa. Mas depois, vem a parte mesmo gira, que é a descrição mais ou menos pormenorizada e extremamente engraçada, diria mesmo hilariante, de como cada elemento da quadrilha cresceu e tomou contacto com Renato “Pacífico”, o líder carismático da mesma.

Renato “Pacífico”, Silvino “Bitoque”, Marlene “do Renato”, Adelaide “Magrinha”, Flávio “O Doutor”, Pedro “O Justiceiro” e Arnaldo “Figurante” são as personagens principais do livro, que tem participações especiais de nomes como Tomé “Caga D’Alto”, Valdemar “Jazebandista” e Lucien “Obelix”. Para quem não gosta assim tanto de ler, é um livro que aconselho vivamente, uma vez que é levezinho, dá para rir e é pequenino, o que permite ler rapidinho e pode motivar para leituras mais complexas. Para os leitores mais hardcore, é a certeza de uma tarde bem passada, garantia de Silent Man.

Mais uma vez obrigado. Espero que gostem tanto como eu!

Leia aqui as primeiras páginas

Classificação: 

May we meet again

Conheces o meu blog generalista?

Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

(às 9h30 de segunda feira, leituras alheias traz-vos opiniões sobre livros de outros bloggers ou amigos)

Autoria e outros dados (tags, etc)



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

calendário

Setembro 2019

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930