Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Últimas leituras

por Magda L Pais, em 24.02.21

Capturar.PNG

Isto de estar em casa a trabalhar faz com que tenha menos tempo para o blog. Vá lá que decidi a impor um horário de leitura que já estava a sentir falta dos meus livros. Dito isto, vamos lá à opinião sobre estes quatro livros.

O Homem em Busca de um Sentido de Viktor E. Frankl - primeiro livro recebido da quarta volta do livro secreto. As viagens pelos livros recomendados por outros tem sido fantástica. Em relação a este livro especifico, terei de dividir em duas partes: a primeira, em que o autor nos conta a sua história de vida (entre o antes e o depois do campo de concentração) e a segunda, em que o livro se transforma em auto ajuda. Gostei imenso da primeira parte e as estrelas que lhe vou atribuir são apenas e só por isso. Livros e frases de auto ajuda dão-me urticária... respeito quem goste (até porque não podemos gostar todos do roxo, não é) mas eu não consigo ler.

Classificação:

Frágil de Jodi Picoult - Confesso que, se a história de Willow (que nasceu com osteogénese imperfeita) me marcou - pela história em si mas também pela mãe - foi a história de Amélia, a irmã mais velha, que se sente invisível e abandonada pelos pais uma vez que estes aparentam apenas se preocuparem com Willow. Amélia sofre de bulimia e começa a auto mutilar-se sem que os pais se apercebam. Frágil foi lido quase de uma vez mas com alguns momentos em que tive de me forçar a fazer um intervalo por me estar a deixar com um nó no estômago, sentindo-me impotente perante o sofrimento de Amélia. É engraçado quando uma personagem, aparentemente secundária, se torna, aos nossos olhos, na principal.

Classificação:

A Escriba de António Garrido - Gosto de romances históricos que nos ensinam enquanto nos divertimos, que nos mostram como era a vida antes de todas as facilidades que temos hoje. Neste caso temos um livro que podia ser bastante interessante - até por contar a história duma mulher que quebrou algumas regras por saber ler e escrever numa altura em que a leitura e a escrita estavam reservadas a poucos homens - mas a verdade é que acabou por se tornar aborrecido e de leitura difícil.

Classificação:

Margarida Espantada de Rodrigo Guedes de Carvalho - Este é, sem dúvida O livro deste conjunto de leituras. Ou mesmo O livro dos últimos meses. Seria o segundo a receber pela ronda do livro secreto mas sucede que o recebi de prenda de Natal e aproveitei para o começar a ler antes de o receber. O problema foi ter decidido começar a ler quando fui para a cama. E, de repente, sem dar por isso... eram 2h30 da manhã e eu não tinha pousado o livro ainda. E só não o acabei nessa noite porque o dia a seguir era de trabalho e teria de me levantar cedinho. A escrita encanta, a história prende, as personagens são profundas e bem construidas. Começa de forma pesada e de forma pesada termina passando por momentos menos pesados mas igualmente fortes. As surpresas surgem a cada virar de página, deixando-nos com vontade de saber mais, de ler só mais uma página. Este é, sem dúvida, um livro cuja leitura recomendo vivamente.

Classificação:

May we meet again

 Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

A Menina Que Nunca Chorava

por Magda L Pais, em 24.01.21

6976540

A Menina Que Nunca Chorava de Hayden Torey

ISBN: 9789722352604

Editado em 2014 pela Editorial Presença

Sinopse

Após ter figurado semanas consecutivas nas tabelas de livros mais vendidos em Portugal, A Criança Que Não Queria Falar é alvo de uma continuação. Com 8 500 000 exemplares vendidos no Reino Unido relativos ao primeiro livro, traça a história verídica de uma criança vítima de abusos que deixou de comunicar com o mundo. Neste segundo volume, encontramos Sheila já com treze anos e a professora que a ajudou na altura a lidar com o seu bloqueio. Inicialmente a adolescente mal se recorda da professora mas lentamente as memórias vêm à superfície reavivando sentimentos hostis como o abandono, insegurança e experiências traumáticas. Apesar de ser um relato com contornos negros, traz-nos surpreendentemente uma versão vencedora de coragem e perseverança. Inicialmente a autora não quis escrever a sequela, mas contrariamente às expectativas e num tributo a Sheila publicou a continuação de uma história de vida comovente.

A minha opinião

Quando li A Criança Que Não Queria Falar julgava que a história não tinha continuação e que íamos ficar sempre na dúvida sobre o que teria acontecido com Sheila. Mas afinal há a continuação e não, não fica tudo bem como gostamos de achar que acontece quando fechamos um livro.

A Menina Que Nunca Chorava conta-nos como foi a vida de Sheila depois de sair da escola de Torey. Conta-nos o que correu mal e o que correu ainda pior. Conta-nos como os primeiros anos de Sheila foram ainda piores do que imaginávamos. 

A Menina Que Nunca Chorava é um murro no estômago, pondo a frio a incapacidade de algumas pessoas serem pais ou mães.

E mostra-nos como, às vezes, não basta termos boas intenções ou termos um QI acima de média. O ambiente em que vivemos, a família com quem nos relacionamos também tem muita influencia.

Não sendo o melhor livro do ano é certamente um livro que deixa marca. E que valeu a pena a ler.

Leia aqui as primeiras páginas

Classificação:

May we meet again

 Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Conheces o meu blog generalista?

 

O Tesouro Secreto dos Templários

por Magda L Pais, em 24.01.21

55359820. sy475

O Tesouro Secreto dos Templários de James Becker

O Tesouro Secreto dos Templários #1

ISBN: 9789897245350

Editado em 2020 pelo Clube do Autor

Sinopse

Uma viagem inesquecível pela História dos Templários, um romance histórico inteligente e bem documentado sobre a Idade Média. O poder e o fascínio intemporal da Ordem dos Templários.

Uma alfarrabista compra uma colecção de livros antigos e depara-se com uma frase em latim, Ipse Dixit, inscrita na capa de um dos volumes que tem a forma de um pequeno cofre. No interior encontra um pergaminho com uma mensagem codificada.

Apostada em investigar a origem do documento, Robin recorre a David Mallory, especialista em criptografia, para descodificar a mensagem.

No meio de uma série de aventuras, Mallory acaba por estabelecer a ligação do código aos Templários e a mensagem revela a localização de um mistério com mais de sete séculos, onde, ao que tudo indica, existirá um tesouro dos cavaleiros mais famosos da História.

A minha opinião

A minha primeira leitura de 2021 levou-me num passeio pela história. Gosto destes livros em que, a par da diversão que é ler, podemos aprender uma ou outra coisa de história.

(haverá quem diga que, basicamente, eu gosto é de ler e pronto)

Com O Tesouro Secreto dos Templários aprendi mais sobre a história e também um pouco sobre criptografia. A história está bem construida, com momentos de acção intercalados com momentos mais calmos. A esmagadora maioria dos diálogos está bem construida e é credível (há um ou outro que são mais "seca" e parece que estamos numa aula mas são pouquíssimos).

Em relação às personagens, houve apenas um ou outro detalhe que não gostei mas que espero ver esclarecidos nos próximos volumes. Talvez haja uma explicação lógica para a capacidade das personagens principais - Robin e David - conseguirem fazer determinadas coisas que não são explicadas apenas por um treino normal.

De resto é um livro que se lê muito bem e que foi a minha primeira leitura de 2021. Se o ano se mantiver assim, a colheita vai ser boa, de certeza.

leia aqui as primeiras páginas

Classificação: 

(este livro foi-me oferecido pelo Clube do Autor em troca duma opinião honesta e sincera)

May we meet again

 Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Conheces o meu blog generalista?

Uma Vida Adiada

por Magda L Pais, em 26.12.20

dita.jpg

Uma Vida Adiada | Memórias da bibliotecária de Auschwitz de Dita Kraus

Tradução de Jorge Candeias

ISBN: 9789899033115

Editado em 2020 pelas Edições Desassossego

Sinopse

Um livro envolvente, em que memórias vívidas e detalhadas se entrelaçam com a narrativa de um dos períodos mais traumáticos da História

Nascida em Praga em 1929 no seio de uma família judaica, Dita Kraus viveu durante um dos períodos mais turbulentos do século xx. Neste livro ela relata com impressionante clareza os horrores e as alegrias de uma vida adiada pelo Holocausto: das suas primeiras memórias e amigos de infância em Praga antes da guerra, à ocupação nazi que a enviou a ela e à sua família para o gueto judaico de Terezín, ao medo inimaginável da sua detenção em Auschwitz e Bergen-Belsen, e à vida depois da libertação.

Dita escreve com rigor sobre as difíceis condições dos campos, sobre o seu papel como guardiã da mais pequena biblioteca do mundo e sobre o papel fundamental que os livros tiveram como escape da realidade. E vai além do Holocausto, apresentando a vida que reconstruiu depois da guerra: o seu casamento com o sobrevivente Otto B. Kraus, a nova vida em Israel e a maternidade.

Esta é a verdadeira história da bibliotecária de Auschwitz contada pela sua protagonista.

A minha opinião

Li, em 2015, A Bibliotecária de Auschwitz de António Iturbe livro baseado na história de Dita e, portanto, assim que vi que biografia de Dita ia ser editada o meu primeiro pensamento foi: quero! quero muito!

(entretanto tambem descobri o site  https://www.ditakraus.com/ onde podemos conhecer ainda melhor a história extraordinária desta mulher)

Uma Vida Adiada é um livro bastante menos pesado que o anterior. O foco não é exactamente o que Dita passou nos campos de concentração mas toda a vida desta mulher que foi uma das mais novas sobreviventes dos campos de concentração.

A forma como Dita nos conta as suas memórias e tudo o que passou - antes, durante e depois da segunda grande guerra - faz com que nos sintamos na sua pele, que calcemos os seus sapatos e que soframos com ela.

Uma Vida Adiada é um livro de leitura obrigatória, não só pelos fãs de literatura sobre a segunda grande guerra mas também por todos os que se queixam da sua vida. Acreditem, a esmagadora maioria dos vossos problemas perdem a importância perante tudo o que Dita (e outras Ditas e Ottos) passou.

Ainda que eu seja um bloco de gelo, livros como este emocionam-me pela positiva. E fazem com que não nos esqueçamos do mais importante: é nossa obrigação tentar de tudo, ainda que contra a maré, para que nunca mais percamos a humanidade e deixemos que voltem a acontecer barbaridades como as que Dita viveu.

leia aqui as primeiras páginas

Classificação: 

(este livro foi-me oferecido pela Saída de Emergência em troca duma opinião honesta e sincera)

May we meet again

 Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Conheces o meu blog generalista?

Uma Viagem Difícil

por Magda L Pais, em 21.12.20

uma viagem dificil.jpg

Uma Viagem Difícil de Jenni Hendriks e Ted Caplan

Tradução de Ana Mendes Lopes

ISBN: 9789897103742

Editado em 2020 pelas Edições Chá das Cinco

Sinopse

Veronica tem 17 anos e é uma aluna excelente com um futuro promissor… até ter nas suas mãos um teste de gravidez com duas linhas cor-de-rosa. Com todos os seus planos a desmoronarem, equaciona algo impensável: fazer um aborto. Mas há um problema: a clínica mais próxima fica a 1500 quilómetros e Veronica não tem carro. Desesperada, recorre à única pessoa que sabe que não a vai julgar: Bailey Butler, a rebelde da escola e a sua ex-melhor amiga. O plano é simples: catorze horas de viagem até à clínica, três horas para a intervenção e catorze horas de regresso.

O que poderá correr mal? Tudo, se pensarmos em três dias de carros roubados, caçadeiras e ex-namorados histéricos. Pior: a dor de uma amizade desfeita está demasiado presente e quando uma discussão leva a um brutal momento de verdade entre elas, Bailey abandona Veronica. E então a jovem terá de arriscar tudo - a sua hipótese de fazer o aborto, as suas esperanças e sonhos para o futuro - para reparar a dor que causou. É que ela já percebeu que o caminho para a vida adulta é duro… mas bem mais fácil quando se tem uma amiga ao lado.

A minha opinião

Regra: eu não leio na cama. Ou, quando leio, ligo o despertador. E porquê? bem, por causa de livros como este. Levei Uma Viagem Difícil para a cama e o resultado foi ter adormecido apenas às duas e pouco da manhã porque: vou só ler mais esta página. Ah vou mas é ler mais este capitulo. Olha, afinal tenho de ler mais isto. Oh Céus e o que vai acontecer agora?... pois, o que aconteceu foi que demorei uma noite a ler este livro.

Ri-me com Bailey e Veronica. Não chorei (porque não choro com livros) mas entristeci-me com ambas. Torci pela amizade que as une e tive vontade de lhes bater quando a casmurrice foi mais forte do que o que sentem.

Li por ai que este é um livro machista, que ensina que não se pode ter um bebé e, ao mesmo tempo, acabar um curso e ter uma carreira. A frase que li diz mais ou menos que "não temos de matar os nossos bebés para sermos bem sucedidos na vida". E também que este livro só mostra que as mulheres são fracas. Não, não somos fracas. E aos 17 anos, ter um filho, sem ter a própria vida organizada, é meio caminho andado para que tudo corra mal, para a mãe e para o filho

(sim, conheço alguns casos que correram bem, e que até foram mães bem mais cedo mas isso não prova que toda a gente o consegue fazer. Prova simplesmente que há excepções que confirmam as regras)

Considerações a comentários idiotas à parte, certo é que Uma Viagem Difícil nem sequer é sobre o aborto. É sobre duas amigas que mostram que, quando é mesmo necessário e apesar de andarem desavindas, conseguem recuperar a amizade que as unia. É sobre mostrar-nos que não temos de ser as mais bem sucedidas ou de andar só com as mais bonitas e fúteis da escola. É sobre namorados falsos e como nos devemos precaver para não cair nas esparrelas. É sobre lutar pelo futuro e por aquilo em que acreditamos. É sobre a mania de julgarmos os outros pelo que fazem sem saber porque o fazem.

Uma Viagem Difícil é, acima de tudo, um livro que trata temas sérios com humor, levando-nos a reflectir. E foi um livro que li numa noite, quando no dia a seguir era dia de trabalho. E isto, meus caros, perder o sono por causa dum livro, é seguramente um dos melhores elogios que posso fazer a um livro.

Classificação: 

(este livro foi-me oferecido pela Saída de Emergência em troca duma opinião honesta e sincera)

May we meet again

 Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Conheces o meu blog generalista?



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

calendário

Fevereiro 2021

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28