Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A Floresta do Mal

por Magda L Pais, em 02.10.19

a floresta do mal.jpg

A Floresta do Mal de M. J. Arlidge

Helen Grace #8

ISBN:9789898917805

Editado em 2019 pela TopSeller

Sinopse

Sem terem por onde fugir, ou um lugar onde se esconder, nem quem os ouça gritar.

Existe algo demoníaco na floresta. Primeiro, cavalos selvagens foram abatidos. Depois, mulheres e homens inocentes foram caçados e brutalmente assassinados por uma figura sem rosto. Perdidos na escuridão, tentaram fugir e esconder-se.

Em desespero, pediram ajuda, mas não havia ninguém para ouvir os seus gritos. Agora, a inspetora Helen Grace é chamada ao local dos crimes para enfrentar um novo pesadelo. Lá descobre corpos pendurados em árvores e perfurados por setas de besta. O que terá motivado estas execuções? Poderá ser um psicopata?

Ou serão estes corpos alguma espécie de oferenda à natureza?

Para descobrir a verdade por detrás deste caso desafiador e macabro, Helen Grace terá de enfrentar a mais profunda escuridão, numa verdadeira corrida contra o tempo para evitar mais mortes. Incluindo a sua.

A minha opinião

Alguma vez vos disse que gosto de policiais? Desconfio que sim (se bem que, na realidade, gosto de quase todos os tipos de livros...). Adiante.

Vamos começar pela melhor altura do dia para ler A Floresta do Mal. Conselho de amiga, não leiam depois duma refeição. Ou enquanto comem. Algumas das descrições dos crimes podem dar a volta ao estômago. Até eu, insensível e fria, me arrepiei em alguns momentos. E se forem mesmo mesmo muito sensíveis... não leiam antes de dormir ou quando forem acampar.

A Floresta do Mal é tão bom assim. Faz-nos arrepiar. Deixa-nos com medo. Deixa-nos incapazes de o largar enquanto lemos e não percebemos o porquê dos crimes. Acompanhamos Helen Grace na investigação e sentimo-nos que somos parte. Corremos com ela pela floresta e ouvimos a filha de Charlie a chorar com os seus pesadelos nocturnos. 

A Floresta do Mal surpreende pelas voltas e reviravoltas. Pelos twists inesperados (ou não fossem twists...) e bem construidos. E conquista pela escrita irrepreensível e pelas personagens.

Acreditem em mim. Vale a pena ler!

Classificação: 

May we meet again

Conheces o desafio de escrita dos Pássaros?

E os Sapos do Ano 2019?

 Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Conheces o meu blog generalista?

Autoria e outros dados (tags, etc)

À Morte Ninguém Escapa

por Magda L Pais, em 07.01.19

25197261.jpg

À Morte Ninguém Escapa de M. J. Arlidge

Helen Grace #2

Tradução de Rui Azeredo

ISBN: 9789898800343

Editado em 2015 pela TopSeller

Sinopse

O corpo de um homem é encontrado numa casa vazia.

O seu coração foi arrancado e entregue à família.

A detetive Helen Grace sabe que esta não será a última vítima de um assassino em série. Os media chamam-lhe Jack, o Estripador, mas ao contrário: este mata homens de família que vivem vidas duplas e enganam as suas mulheres.

Helen consegue pressentir a fúria por detrás de cada assassínio. Mas o que ela nunca conseguirá prever é quão volátil na realidade este assassino é. Nem o que a aguarda no final desta caça ao homem.

A minha opinião

Começado em 2018, nos últimos dias, enquanto andava por terras de sua majestade. Infelizmente as luzes do apartamento em que estávamos não eram compatíveis com a leitura e acabei por ter de o colocar um pouco de parte. Acabei por o ler quase todo na viagem de regresso e o pouco que faltava foi lido ontem.

Já há algum tempo que andava com vontade de ler M. J. Arlidge e, pelos vistos, devia ter realmente de ter lido. Também teria sido boa ideia começar pelo volume 1 desta série mas pronto. Há coisas que nunca mudam e começar as séries pelos volumes errados faz parte das coisas que me acontecem (isso, e ler livros sobre desastres de avião enquanto se viaja... de avião)...

À Morte Ninguém Escapa é um livro que não apetece largar. Que nos prende enquanto tentamos perceber quem é o Estripador em versão feminina. Que, além da história principal, consegue ter algumas histórias secundárias que se enquadram na história principal sem lhe retirarem protagonismo. Com personagens fortes e consistentes, com as suas próprias histórias e lutas.

Com pequenos capítulos, a leitura acaba por se tornar mais fácil (e viciante) porque estamos sempre à espera de descobrir o que se vai passar a seguir. Por outro lado, algumas descrições das cenas dos crimes podem deixar o nosso estômago às voltas, o que torna o livro ainda melhor! se é que isso é possível...

Por fim, a cereja no topo do bolo. Não me passava pela cabeça quem seria a assassina, pelo que o final me surpreendeu.

Resumindo... mais uma autora para me desgraçar a carteira e um excelente livro para iniciar 2019.

Leia aqui as primeiras páginas

Classificação:

May we meet again

Conheces o meu blog generalista?

Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog

calendário

Setembro 2020

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930