Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Tim

por Magda L Pais, em 04.04.18

tim.jpg

Tim de Colleen McCullough

Sinopse

Uma história de amor única e inesquecível. Mary Horton tem quarenta e três anos e vive num subúrbio tranquilo, de classe média, na costa australiana. É uma mulher solteira, muito rígida e distante, que conseguiu construir uma vida às suas próprias custas, mas o seu conceito de «vida» não inclui relações pessoais. Sem um namorado nem amigos, Mary não quer deixar ninguém entrar na sua vida solitária. Tim Melville é um trabalhador manual de vinte e cinco anos, com o rosto e o corpo de um deus grego, mas a cabeça de uma criança. Num mundo cruel e inflexível, apesar da sua família maravilhosa, Tim acaba muitas vezes por se deixar levar pelos que se dizem seus amigos e que se aproveitam dele. Tim conhece Mary por acaso, numa manhã de verão, e aquilo que começa por ser um dia de trabalho para ele transforma-se numa relação que vai mudar a vida dos dois.

A minha opinião

Este é um daqueles livros que podem ser estragados por um pequeno detalhe. No caso de Tim o detalhe que o estraga é o último capitulo. É desnecessário, não acrescenta absolutamente nada à história, não é o momento da revelação nem tão pouco é o culminar de todo o livro. É o penúltimo capitulo que é o culminar do livro, que termina a história e que a torna maravilhosa. Pela história até esse dito penúltimo capitulo, teria dado uma classificação de quatro (em cinco) mas assim terei de me ficar pelo três.

Tim é o livro de estreia de Colleen McCullough e, não soubesse eu do sucesso que ela teve de seguida, e teria de dizer que este livro augurava uma carreira brilhante. É um livro duma sensibilidade extrema, que nos mostra que o amor pode e deve existir entre homens e mulheres, independentemente das condições físicas ou psicológicas, ou sejam pessoas normais ou com alguma deficiência. Tim é um livro que nos mostra que as barreiras só existem na nossa mente e que - não obstante as deficiências que se possam ter - merecemos todos ser tratados da mesma forma.

Tim leva-nos a olhar com inocência para os pequenos prazeres da vida. Um banho de mar, um passeio de carro, uma flor... 

Um bom livro, sem dúvida alguma e um livro que me deixou com vontade de ler mais desta autora (lá vai a Nathy dizer que ela bem tinha razão...).

 

(leia aqui as primeiras páginas)

Classificação: 

 

Entretanto...

Conheces o meu blog generalista?

Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Autoria e outros dados (tags, etc)


7 comentários

De Gorduchita a 04.04.2018 às 09:43

Parece mal dizer que sempre achei que Colleen McCullough era um homem?
nem sei bem porquê...

Parece um livro interessante! :)

De Magda L Pais a 04.04.2018 às 09:58

e será que parece mal eu ficar satisfeita por não ser a única que achava isso??

o livro é muito bom, vale a pena ler. mas não leias o último capitulo que o estraga :p

De Nathy ღ a 04.04.2018 às 14:04

Adoro Colleen, não fosse ela a minha escritora preferida, mas também questionei o último capítulo. Não me lembro se o mesmo ocorreu quando li a primeira vez. Não fosse eu a pessoa "mais" que embira com os finais.
Tenho um carinho especial por este livro... Não sendo algo de outro mundo, acaba por ter uma boa mensagem e apesar de tudo torna se uma leitura leve.
E sim, tens que ler Colleen... Arranja Pássaros Feridos, tenho ali para reler... Ahhh Tim não é o melhor da Colleen... mas também não é o pior. Ela tem um pouco de tudo.

De Magda L Pais a 04.04.2018 às 14:07

Aquele último capitulo não faz sentido e era perfeitamente escusado. Normalmente arrumam-se as pontas ou há revelações no capitulo final mas neste caso nada disso acontece, antes pelo contrário.
Acho que tenho lá mais dois livros dela. Hei-de lá chegar...

De A rapariga do autocarro a 04.04.2018 às 14:34

Afinal não era só eu!!! , Só quando li o primeiro livro é que percebi!!!

De Magda L Pais a 04.04.2018 às 14:37

ahahahahahahaah quase um clube

De Bárbara Ferreira a 07.04.2018 às 11:12

Tenho este livro por ler, exactamente esta edição - não sabia que era o primeiro dela, tinha mais curiosidade com Pássaros Feridos (que tenho nestas edições também e no qual ainda não peguei - é-me difícil dar prioridade a livros que saem com jornais e revistas!). Fiquei curiosa com o último capítulo que estraga tudo :)

Comentar post




Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.